Notícias

48h após o temporal, quase 90% dos clientes da CEEE já estão reabastecidos

NULL

Por admin / Publicado: 31/01/2016 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

Após 48 horas do temporal que arrasou diversos bairros de Porto Alegre, as equipes da CEEE Distribuição mantêm o ritmo de trabalho para restabelecer os 53 mil clientes que ainda estão sem energia. Num primeiro momento, 450 mil unidades consumidoras tiveram o fornecimento suspenso. O principal desafio para a reconstrução das redes é a remoção das árvores, que além de arrebentar os fios de energia, obstruem o trânsito e impedem as equipes de acessarem os locais em que são registradas interrupções no fornecimento.

O temporal foi classificado pelo Sistema Ceic-Metroclima da prefeitura de Porto Alegre como “super célula de tempestade muito intensa”, com danos equivalentes aos de um furacão de Categoria 1. O motivo desta interpretação dos danos é o fato de que os ventos alcançaram praticamente 120 km/h e duraram em torno de 1 hora.

Em reunião no fim da tarde de hoje, 31, no Centro de Comando da Capital, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM) informou que há pelo menos 1,8 mil árvores caídas nas vias de Porto Alegre (além de outras 300 com risco de queda iminente) e que, no Parque Marinha do Brasil, cerca de 30% delas foram ao chão. A EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) calcula que ainda há 40 ruas bloqueadas por árvores de grande porte. O DMLU (Departamento Municipal de Limpeza Urbana) colocou 80 equipes nas ruas hoje para recolher os destroços do temporal. O Corpo de Bombeiros da Brigada Militar começou a apoiar as equipes da CEEE, da SMAM e do DMLU na remoção da vegetação. Esse trabalho integrado tem sido fundamental para acelerar o restabelecimento da energia elétrica. Também ofereceram apoio outras empresas de energia que atuam no Rio Grande do Sul: Certel, Certaja, RGE e AES Sul.

Desde o início do temporal, mais de 1,5 mil funcionários da CEEE estão se revezando no atendimento aos danos causados pela tempestade, que envolvem trabalhos complexos e demorados como podas, substituição de postes e reconstrução de redes. A Concessionária reitera seu compromisso de atender os clientes no menor prazo possível e, para isso, além da contratação emergencial de equipes, remanejou técnicos de outras áreas para o serviço de emergência.

Com todas as dificuldades inerentes ao trabalho em momento de contingência, aliadas às dificuldades técnicas de outros setores e de infraestrutura da própria cidade em função da intensidade do temporal, não é possível fazer uma previsão exata da conclusão dos serviços. A Diretoria do Grupo CEEE garante que os profissionais da Companhia estão trabalhando contínua e ininterruptamente para consertar os estragos causados pela violenta tempestade, se solidariza e pede a compreensão dos clientes que ainda estão sem energia.

 

Os números da CEEE no temporal

Além de galhos e árvores que caíram sobre a rede elétrica, objetos metálicos, placas e telhas também foram arremessadas pelo vento contra os cabos e equipamentos da CEEE. A Subestação Porto Alegre 4, na esquina das avenidas Ipiranga e Praia de Belas, teve equipamentos danificados por esse motivo e ficou fora de operação até que os materiais fossem substituídos ou consertados. Já a Subestação Porto Alegre 5, na esquina da Lucas de Oliveira com a Casemiro de Abreu, teve um cabo de cobertura rompido, também ficando sem operar. Assim, no ápice do temporal, a CEEE estava com duas subestações fora de operação, 125 alimentadores (redes de alta tensão que saem das subestações para os bairros) e 450 mil clientes sem energia.

A violência do evento climático rompeu ainda cabos de fibra ótica do provedor de dados da Companhia, interrompendo o serviço de informação de falta de luz por torpedo até as 17h de sábado, 30. Equipes da empresa responsável pelo provedor e da área de telecomunicações da CEEE trabalharam por 17 horas para solucionar o dano e restabelecer este formato de contato com a Empresa. Em menos de dez minutos, mais de 700 mensagens foram registradas.

 

Contato com a Companhia

A Central de Teleatendimento da CEEE (0800 721 2333) opera com toda a força de trabalho disponível. No entanto, devido à gravidade do temporal, há um grande número de ligações, provocando congestionamento. Nesses casos, há fila de espera e a CEEE recomenda que os clientes aguardem, pois serão atendidos, ou utilizem a Unidade de Resposta Audível (URA), na opção 1, que é emergência, depois novamente 1, que é falta de luz. Basta ter em mãos o número da instalação e logo receberá protocolo.

Por este motivo, a Empresa recomenda que os clientes comuniquem falta de luz preferencialmente pelo torpedo. Basta o cliente enviar a palavra LUZ e o número de instalação (destacado num quadrado amarelo na conta de luz) para 27307. O serviço é gratuito e a reclamação é registrada diretamente no sistema. O cliente recebe mensagens com o número de protocolo e informações adicionais. Há, ainda, a possibilidade de atendimento presencial nas agências (confira endereços e horários de atendimento no site www.ceee.com.br).

 

Dicas de segurança

A CEEE Distribuição alerta para alguns cuidados que devem ser tomados em temporais:

  • Não se aproxime nem toque em cabos rompidos ou caídos. Avise imediatamente a CEEE Distribuição pelo 0800 721 2333.
  • Em áreas alagadas, desligue a chave geral (disjuntor) do imóvel e, caso esteja na rua, afaste-se da rede elétrica. A água é condutora de energia e há risco de choque elétrico, mesmo sem contato direto com a fiação.
  • Durante chuva forte com raios, procure abrigar-se em local seguro. Em casa, retire todos os aparelhos da tomada até que a intensidade da chuva diminua.

 

Tempo e critérios de atendimento

Quando há temporais, o número elevado de ocorrências e as condições geográficas (distância, dificuldade de acesso por alagamentos, queda de árvores e de barreiras) podem provocar aumento do tempo para o restabelecimento da energia elétrica. A CEEE Distribuição prioriza o atendimento das situações que envolvem risco de vida, serviços essenciais (como saúde, água e segurança) e, após, conforme os procedimentos estabelecidos pela ANEEL, as demais ocorrências, conforme o número de unidades consumidoras atingidas. Seguindo este critério, são verificados e reparados subestações, alimentadores (redes de média tensão), redes de distribuição de baixa tensão e, por último, casos individuais. É importante ressaltar que, em áreas alagadas, por motivos de segurança, o fornecimento de energia só pode ser restabelecido após a normalização do nível da água.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres