Notícias

A exposição Um Tempo de Delicadezas abre nesta terça-feira no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo

Mostra reúne trabalhos da artista plástica, Maria Di Gesu, produzidos entre 1947 e 2014.

Por admin / Publicado: 01/03/2015 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

O Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV) abre nesta terça-feira, dia 03 de março, às 19h, a exposição "Um Tempo de delicadezas", da artista plástica e musicista Maria Di Gesu", uma alquimista de sons e cores, como é apresentada pela professora de História, Vera Beatriz Fedrizzi no material que compõe a mostra, integrada por 27 xilogravuras, 11 telas e cinco esculturas.

Nascida na cidade de Morano Calabro, Itália, em 1928, Maria Di Gesu é múltipla nas artes. Bastante disciplina no que faz, tem inúmeros trabalhos em telas e gravuras que permeiam a imaginação pelos olhos de quem vê. Quem a conhece e aprecia a sua obra, como Vera Fedrizzi diz que ela tem o poder de levar às pessoas, pelas suas lembranças, a um tempo todo próprio seu. Meio Itália, de onde veio em 1947, aos 20 anos; meio Brasil com suas luxuriantes e criativas luzes.

Legítima representante do estilo Naif, os quadros de Maria di Gesu cativam em singelos traços coloridos como se fosse uma menina quem os criasse, a partir do seu rico mundo interior, apesar da perplexidade quanto às mudanças que ocorreram ao longo dos seus quase 60 anos de arte.

A crítica considera difícil analisar e definir a estética de sua obra de maneira meramente conceitual. Apontam que é melhor deixar o olhar passear pelos seus quadros e pelas histórias que eles contam. Muito do seu trabalho traz lembranças de sua terra natal, passadas entre as montanhas, com cenas coloridas, plenas de natureza e de espiritualidade, com traços simples, leves e elegantes.

A exposição “Um Tempo de Delicadezas”, que reúne variadas obras da artista Maria di Gesu e que apresentam  temas como religiosidade e celebração, produzidos entre 1947 e 2014, poderá ser visitado no Centro Cultutal CEEE Erico Verissimo (Rua dos Andradas, 1223, Centro Hitórico de Porto Alegre), até o dia 1º de abril.

Um pouco da trajetória de Maria Di Gesu

Maria Di Gesu nasceu em Morano Calabro, na Itália, em 22 de fevereiro de 1928. Começou sua atividade artística como autodidata durante a 2ª Guerra Mudial, sendo que seus estudos de música iniciaram em sua cidade natal com o maestro Battista Lotufo.

Veio para o Brasil em 1947. E, 1953, ingressou no Instituto de Belas Artes de Porto Alegre onde cursou, além de música com os professores Victor Neves (canto coral, teoria e solfejo) e Léo Schneider (organologia e prática de orquestra), desenho e modelagem com Cristina Balbão e Naiá Carrêa.

Em 1955, ingressou no Coral da OSPA (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre), onde permaneceu por sete anos. Continuou seus estudos de música no Conservatório Artístico Musical, onde aprendeu a tocar nove instrumentos, formando-se em violino. No ano seguinte, aperfeiçoou-se em cerâmica com Maria Helena Sarmento Barata.

Em 1960, fez cursos livres de desenho e pintura com Benito Castanheda e Iberê Camargo. Nesse mesmo ano, participou do I Semanário Sul-Riograndense de Música (violino), promovido pela Divisão de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura/RS, com André Guetta.

Em 1961, aprendeu xilogravura com Francisco Stockinge e Danúbio Gonçalves e colaborou para a Fundação do Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. Participou também do II Semanário Sul-Riograndense de Música.

Em 1962, cursou percepção visual com Carlos Scarinci, estudou canto gregoriano com Padre Amaro Cavalcante de Albuquerque, violino com José Brito e violão com Maria Alemam de Brito, em cursos promovidos pela Divisão de Cultura da SEC/RS.

Esteve em 1963, no III Semanário Sul-Riograndense de Música e integrou o grupo de professores do Instituto Musical Paganini, permanecendo nesta instituição por três anos. No ano seguinte, foi participante do IV Semanário Sul-Riograndense de Música com Roberto Schnoremberg (violino e prática de orquestra) e Maria Alemam de Biro (violão) e atuou como violinista na OSPA. Fez escultura com Vasco Prado, e no Atelier Livre da Prefeitura e Tapeçaria com Eleonora Verissimo na Escola Carlo Baroni.

Em 1969, recebeu certificado de habilitação como violinista pela Ordem dos Músicos do Brasil.

De 1965 a 1968 aperfeiçoou-se em violino com o professor Antonio Marques, de Montevidéu, um dos integrantes da OSPA.

Em 1980, fez técnica de esmaltação em cerâmica com o professor Olmedo.

Inúmeras exposições individuais, coletivas bienais e salões no Brasil e no exterior fazem parte de sua movimentada agenda cultural e artística, na qual mereceu pela qualidade de seu trabalho, referências destacadas da crítica especializada, premiações e menções.

Exposição "Um Tempo de delicadezas" de Maria Di Gesu"

Abertura: Terça-feira, dia 03 de março, às 19h.

Visitação de 04 de março a 1º de abril de 2015

Local: Sala Arquipélago de Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV)

Rua dos Andradas, 1223, Centro Histórico, Porto Alegre/RS

 

Na foto, Maria Di Gesu, que abre exposição nesta terça-feira, 03 de março, às 19h, no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo.

Foto feita por Larissa Limeira/Divulgação CCCEV

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres