Notícias

Audiência Pública debate demora no restabelecimento de energia

Foram discutidos problemas ocorridos na área das três concessionárias em função de alterações climáticas

Por admin / Publicado: 15/04/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

Uma audiência pública realizada nesta quarta-feira discutiu a demora no restabelecimento da energia elétrica em alguns municípios do Estado, não só após temporais, mas nos dias de calor intenso, como os registrados no mês de fevereiro. Representantes de Prefeituras, Câmaras de Vereadores e de moradores de cidades do Rio Grande do Sul participaram do encontro e manifestaram suas preocupações. O presidente do Grupo CEEE, Sérgio Camps de Morais, disse ter feito questão de ir pessoalmente à audiência, dada a importância do problema e a atenção que aspectos envolvendo a infraestrutura merecem.

Embora as queixas apresentadas tenham sido de cidades de fora da área de concessão da Companhia, Camps ressaltou que também a CEEE enfrenta estes problemas. “As redes elétricas do Rio Grande do Sul todo são antigas, até em função de o Estado ter sido pioneiro em eletrificação rural no Brasil e as instalações terem sido feitas há vários anos”, destacou. Além disso, o presidente relatou uma série de mudanças ocorridas – inclusive no comportamento das pessoas, que hoje são muito menos tolerantes com a falta de energia elétrica do que há duas décadas, por exemplo. Segundo ele, a exigência é nova, mas as empresas precisam dar uma resposta a estas demandas, que acabam não sendo responsabilidade apenas das empresas, mas também dos municípios, Estado e União, encarregados da infraestrutura. “Tivemos problemas nos últimos meses que nos levaram a criar um plano de contingência unificado entre as cinco empresas que transmitem e distribuem energia elétrica no RS (CEEE-D, AES Sul, RGE, CEEE-GT e Eletrosul), para termos mais agilidade na resposta aos problemas”, revelou, acrescentando que, em alguns casos, as equipes ficaram impedidas de trafegar para chegar aos locais de onde surgiram as notificações por até dois ou três dias.

A audiência pública foi requerida pelo deputado Dionilso Marcon e pelo ex-deputado Álvaro Boésio, com o objetivo de avaliar os problemas e levantar possibilidades de solução para evitar que desabastecimentos prolongados voltem a ser registrados no próximo verão. Compareceram, ainda, ao encontro os deputados Berfran Rosado, João Fisher, Heitor Schuch e Coffy Rodrigues, além de representantes da AES Sul, RGE, Procon, Agergs e Ministério Público.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres