Notícias

CEEE-D inicia retirada de cabos de energia clandestinos no bairro Rubem Berta em Porto Alegre

A nova rede regularizada no local beneficia 566 famílias e trará um incremento de receita por ano à empresa de R$ 418 mil

Por admin / Publicado: 12/03/2013 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

Após a instalação da rede regular de energia elétrica junto ao Residencial Dom Pedro, no bairro Rubem Berta, zona Norte de Porto Alegre, a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D) iniciou, nesta terça-feira (12), a retirada dos ramais instalados pelos moradores, no passado, de forma clandestina no local. Em paralelo a esse trabalho que estará finalizado até a próxima sexta-feira (15), equipes da empresa realizam a ligação daqueles clientes que ainda não haviam concluído a instalação do ramal de entrada na unidade consumidora.

Segundo os representantes da Associação de Moradores, Nauro Marques Pinto e Sidney Bitencourt, presidente e vice-presidente da entidade, respectivamente, a parceria com a CEEE-D foi muito boa. “A gente tinha luz, mas faltava assistência e apoio. Agora, é diferente. Sabemos que se houver qualquer necessidade, poderemos contar com as equipes da Companhia para o conserto”, reforça Nauro. Essa mesma opinião é compartilhada pelas moradoras Doralina Ferreira e Vera Lúcia Rodrigues. Elas comemoram a nova relação com a empresa. “Tudo está 100%. Pagamos por uma energia de melhor qualidade, além de contar com os serviços quando precisarmos de qualquer reparo na rede. Antes, quando ocorria algum problema, era comum ficarmos vários dias sem luz, além do reparo ser caro”, diz Doralina.

 

Benefícios aos moradores e à empresa

 

Além de beneficiar diretamente 566 famílias da região, a Divisão de Medição e Proteção da Receita da CEEE-D prevê que a regularização no Residencial Dom Pedro trará à empresa um incremento anual de energia de 970 mil quilowatts-hora e, pelo mesmo período, de R$ 418 mil na receita. A obra começou a ser executada no final do ano passado e integra o Programa Energia Legal, que tem como objetivo combater os “gatos de energia”, diminuir as perdas não técnicas da empresa e melhorar a qualidade de vida das pessoas por meio da oferta regular da energia elétrica.  No local, foram instalados 99 postes, seis transformadores e construídos 4,5 quilômetros de redes de média e baixa tensão, num investimento de aproximadamente R$ 210 mil. A transferência das luminárias que integram a iluminação pública à nova rede, que também estavam conectadas de forma irregular, deverá ser feita, agora, pela Secretaria Municipal de Obras e Viação, setor responsável por esse serviço.

Pelo projeto, a empresa oferece condições especiais de parcelamento e faz a instalação de kits de padrão de entrada nas ligações monofásicas. O poste e os outros equipamentos da entrada de energia podem ser quitados em 24 meses diretamente na conta de luz. O benefício inclui, ainda, a isenção de pagamento das 12 últimas prestações para quem estiver adimplente com a Companhia. Os novos clientes residenciais monofásicos, a partir da ligação regular da energia, passam a receber uma conta educativa por seis meses. Nesse período, o documento informa o valor real do consumo, e apresenta, também, o valor mínimo correspondente ao tipo de ligação, o qual será válido para pagamento. O objetivo do procedimento educacional e temporário é estimular uma mudança nos hábitos de consumo, que resulte num valor de conta compatível com as condições de pagamento do usuário.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres