Notícias

CEEE divulga relatório das ações realizadas no verão

Prioridades foram definidas pela nova Diretoria para evitar problemas de fornecimento

Por admin / Publicado: 30/03/2011 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

A CEEE Distribuição concluiu 33 ações emergenciais anunciadas pela Diretoria em janeiro deste ano e que ajudaram a empresa a garantir o atendimento aos clientes, minimizando cortes ou quedas de tensão durante o verão, época em que historicamente são registrados os maiores picos de energia no Estado. A informação é do presidente do Grupo CEEE, Sérgio Souza Dias, que anunciou, ainda, que, conforme o planejamento feito e com base em uma avaliação técnica, oito ações foram reprogramadas e serão finalizadas ainda no primeiro semestre de 2011 e outras oito, até o final do ano. “Essas ações são importantes para melhorar a qualidade do sistema, até porque, já a partir de novembro, as temperaturas voltam a aumentar e a elevar a demanda, exigindo mais confiabilidade dos equipamentos”, acrescentou.  

Os investimentos foram priorizados pela nova gestão, a partir de um diagnóstico que mostrava os pontos mais vulneráveis do sistema elétrico, especialmente na Capital e Região Metropolitana, onde a empresa tem um mercado de aproximadamente 600 mil consumidores. Os trabalhos incluíram manutenção preventiva de equipamentos, instalação de transformadores adicionais, reforço em extensão de redes e melhorias em subestações e linhas de transmissão. Esses investimentos, que continuarão ao longo de 2011, totalizam R$ 62,9 milhões.

Entre as principais ações, destacam-se a ampliação de capacidade de subestações em Porto Alegre, Pelotas e Viamão, além da conclusão da manutenção de uma subestação móvel e de reforço de alimentadores (redes de média tensão) e outros. As demais obras, com conclusão ao longo de 2011, são as subestações de São Lourenço do Sul e de Dom Pedrito e novos alimentadores para as subestações Porto Alegre 3, Porto Alegre 9 e Porto Alegre 16.

A fim de que haja um acompanhamento permanente do planejamento e das necessidades do sistema, a atual gestão remodelou algumas práticas internas, passando a atuar, no caso das obras emergenciais, por gestão de projetos, com um grupo formado por técnicos das áreas de projeto e engenharia, operação, manutenção e execução – esta etapa coordenada pelas Regionais Metropolitana, Campanha, Litoral Sul, Sul, Centro Sul e Litoral Norte. Em outra frente, a coordenação analisa e acompanha o cronograma dos investimentos estruturantes do Estado na área da energia, necessários para a melhoria do sistema energético do RS, com conclusão programada para a Copa das Confederações, em 2013.

Para equilibrar os investimentos e o déficit da Companhia, foram necessárias operações de captação de recursos em fundos de investimento. De acordo com o presidente do Grupo CEEE, Sérgio Souza Dias, a Distribuição vem acumulando prejuízos ao longo dos últimos anos. No ano passado, por exemplo, segundo ele, houve a captação de aproximadamente R$ 400 milhões para fechar o caixa. “O quadro deficitário enfrentado pela Empresa é ocasionado por um problema histórico, resultado da privatização, e que para ser totalmente sanado necessita que a Companhia realize uma reestruturação que busque à empresa de referência da Aneel”, declarou.

O Grupo CEEE está estruturando um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) no valor de R$ 150 milhões e negocia outras duas linhas – uma, de US$ 300 milhões, com o BID e a outra, de R$ 350 milhões, com o BNDES.

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres