Notícias

CEEE entrega geladeiras para famílias regularizadas de Porto Alegre

Clientes são alguns dos que fazem parte dos beneficiados pela tarifa social de energia elétrica

Por admin / Publicado: 20/12/2011 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

A CEEE Distribuição está fazendo a substituição de geladeiras para 36 famílias enquadradas na tarifa social de energia elétrica que tiveram o consumo de energia regularizado este ano em duas áreas de Porto Alegre. Um total de 21 famílias da Vila Sertão II e 15 da Vila Cristiano Kraemer receberam os equipamentos nesta terça-feira, 20. A entrega contou com as presenças do secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, do presidente da CEEE, Sergio Souza Dias, e do diretor de Distribuição, Rubem Cima, que acompanharam a entrega para Celeni dos Santos Farias, após evento no Centro Comunitário da Vila Sertão II.

Para o presidente Sergio Dias, a entrega das geladeiras para essas famílias demonstra o quanto é importante para as pessoas a regularização do consumo de energia elétrica. “Além de mais qualidade e segurança, a fatura de energia traz cidadania para as famílias. E aquelas que são beneficiadas pela tarifa social ainda estão tendo suas geladeiras substituídas, sendo mais uma vantagem para quem regulariza sua entrada de energia elétrica”, concluiu o presidente. O diretor de Distribuição, Rubem Cima, reforçou a manifestação, dizendo que o diferencial da comunidade da Vila Sertão II é a organização. “Graças ao trabalho de vocês, o resultado está aí: grande número de clientes regularizados, que têm acesso à energia de mais qualidade e puderam ser beneficiados pelo Programa de Eficiência Energética da CEEE”, elogiou.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, enalteceu a iniciativa do projeto piloto que, além de regularizar a distribuição de energia naquela área da cidade, também está dificultando a instalação de novas ligações clandestinas. “É um programa que deverá ser espalhado por Porto Alegre, dentro de uma visão de política pública que pretende fazer alguma diferença na vida das pessoas. Foram 1,7 mil regularizações em onze meses e isso significa serviço público de mais qualidade e cidadania”, acrescentou.

A responsável pelo Centro Comunitário Antônio Gianelli, irmã Raquel Pena Pinto, fez um desabafo, agradecendo a atuação da CEEE na vila Sertão II. “Em época de eleição muita gente descobre a comunidade, mas depois, poucos retornam para fazer algo como o que está acontecendo aqui hoje. O que posso dizer em nome da comunidade da Sertão II é muito obrigada”, reconheceu. As palavras foram endossadas pelo líder comunitário Uiraçaba da Rosa Rodrigues, o Chiquinho, que parabenizou o trabalho dos atendentes comerciais da CEEE Iara Regina de Azevedo e Ardolino Mário da Silva Ávila. Eles fizeram trabalho de conscientização na comunidade, onde permaneceram por 90 dias até a execução do programa de regularização e implantação do sistema anti-furto de energia.

 

O programa de substituição das geladeiras

A substituição das geladeiras faz parte do programa de eficiência energética da Companhia, que até o fim deste ano terá trocado aproximadamente 4,7 mil peças e 18 mil lâmpadas fluorescentes compactas nos municípios de São Lourenço do Sul, Turuçu, Alvorada, Porto Alegre, Viamão, Guaíba, Butiá e São Jerônimo. Além dessas, também fazem parte desta primeira etapa do programa clientes de Eldorado do Sul, Charqueadas, Arroio dos Ratos, Minas do Leão, Mariana Pimentel, Barra do Ribeiro e Pantano Grande.

O sistema adotado na regularização da Vila Sertão II

O projeto piloto antifurto de energia elétrica foi feito na Vila Sertão II, em Porto Alegre, após testes realizados na CEEE. Trata-se de uma forma de dificultar o acesso à rede, uma vez que a maioria dos chamados “gatos” é feita perto do poste, onde fica mais fácil a colocação da escada para cometer a irregularidade.

Para a realização do projeto, a CEEE instalou conectores especiais (lugares de onde a energia é “enviada” para as unidades consumidoras) a uma distância de 1,5 metro do poste. Nesse intervalo, há a aplicação de uma camada de fita (do estilo isolante), chamada de autofusão, uma de outra fita de aço-inox metálica e por último mais uma de autofusão em rede multiplexada (cabos protegidos) de energia de baixa tensão. Esse trabalho blinda a rede e resulta num dificultador do acesso ao interior dos cabos, que é de onde a energia é furtada. Após esse espaço são instalados os conectores com os ramais de ligação para as casas. A rede e os postes também estão mais altos e mais próximos à média tensão.

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres