Notícias

CEEE inicia campanha sobre segurança da população com energia elétrica

VII Semana Nacional da Segurança envolve 50 concessionárias, com o objetivo de alcançar 160 milhões de pessoas em todo o país.

Por admin / Publicado: 10/08/2012 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

A CEEE participa da VII Semana Nacional da Segurança da População com Energia Elétrica, em conjunto com outras 50 concessionárias do país numa ação coordenada pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee). Na Companhia, o trabalho que é feito de forma regular durante todo ano terá um reforço, entre os dias 13 e 19 de agosto, incluindo atividades e alertas específicos à população junto aos moradores dos municípios da área de concessão da empresa. A intenção é alcançar cerca de 160 milhões de pessoas em todo o país com as mensagens que integram a campanha, alertando adultos e crianças sobre o uso da energia elétrica, a fim de reduzir os acidentes que ainda ocorrem em todas as regiões.

Em 2011, em todo o Brasil, 856 pessoas se acidentaram por contato com os fios da rede das concessionárias de energia elétrica, resultando em 315 óbitos. O número de acidentados e mortes representa um aumento em relação a 2010, que foi de 817 e 305, respectivamente. Entre os 14 tipos de ocorrências registradas, a construção e a manutenção predial lideram o ranking com 82 mortes, seguida da ligação elétrica clandestina com 60 óbitos.

Essas estatísticas são validadas também pelos números do Hospital Cristo Redentor de Porto Alegre, onde, de janeiro a junho 2011, 384 pessoas deram entrada na Unidade de Queimados, sendo 15 por acidentes com energia elétrica e, neste ano, no mesmo período, o número subiu para 440, sendo 34 por questões de eletricidade. Segundo a médica Maria da Graça Figueira Costa, coordenadora da Unidade, os atendimentos feitos hoje no local apontam dois grupos como os mais vulneráveis: jovens trabalhadores da construção civil e crianças expostas a descuidos com tomadas e equipamentos elétricos em casa.

A campanha deste ano tem como slogan Segurança – Escolha a Vida. As distribuidoras montaram uma força-tarefa em seus estados, com divulgação de informações nas contas de luz, palestras educativas em escolas e canteiros de obras. Também serão veiculados spots de rádio, anúncios na mídia e nas contas de luz, distribuição de cartilhas e folhetos explicativos com dicas de prevenção de acidentes. A CEEE incluiu na contas de luz que chegam para 1,5 milhão de clientes no mês de setembro a peça da campanha sobre a questão do perigo de furtar energia elétrica.  O alerta diz: Viver legal ou morrer na ligação ilegal. Escolha a vida. Furtar energia é crime e coloca em risco a sua vida e a de muitas pessoas.

Os quatro temas selecionados são: instalação de antena de TV; soltar pipa/papagaio; construção civil; e furto de energia. Nestes casos, a informação e conscientização da população sobre os riscos envolvidos e como evitá-los é fator decisivo na prevenção.

“Queremos mostrar que a adoção de cuidados simples no cotidiano das pessoas é essencial para evitar acidentes”, destaca o presidente da Abradee, Nelson Fonseca Leite. Ele reforça que a repetição anual da campanha, complementada pelas ações permanentes das distribuidoras, é importante para desenvolver na população uma consciência de prevenção de riscos e reduzir o número de acidentes.

Leite lembra que as ações sistemáticas desenvolvidas nos últimos anos, com destaque para as campanhas voltadas a conscientizar a população sobre os cuidados a serem observados para evitar acidentes com a rede de energia elétrica, vêm apresentando bons resultados. “Os dados dos últimos onze anos mostram uma sustentada e significativa redução da taxa de gravidade – de 4,3% ao ano e da taxa de frequência – de 3,7% ao ano” ressalta o presidente da Abradee.

A situação atual

Na busca da universalização, as distribuidoras vêm estendendo suas redes elétricas para as periferias e áreas rurais mais distantes, incorporando contingentes populacionais com menor nível de informação e conscientização sobre os cuidados necessários para uma convivência segura com as redes elétricas. Em 1966, apenas 40% da população brasileira era atendida pelas redes das concessionárias (6 milhões de consumidores). Atualmente, em todo o país, são 2,9 milhões de quilômetros de rede de distribuição para atender 193 milhões de habitantes, com uma cobertura de 99% dos domicílios.

As distribuidoras, isoladamente, sempre atuaram no sentido de orientar seus consumidores sobre os riscos da energia elétrica e como evitá-los. A partir de1990, para acompanhar mais de perto essa atuação, a Abradee e a Fundação Coge implementaram a coleta sistemática de dados de acidentes da população com a rede elétrica das concessionárias.

Em 2006, a Abradee e suas associadas promoveram a primeira campanha nacional para prevenção de acidentes com a rede elétrica e vêm repetindo esta mobilização todos os anos. Os resultados são positivos: pesquisas de satisfação do cliente feitas anualmente, em todo o país, mostram uma tendência de melhoria da satisfação dos consumidores com as orientações sobre os riscos da energia elétrica, prestados pelas concessionárias (ver gráfico). Nos últimos 12 anos, houve um aumento médio de 2,3% ao ano.

Orientações sobre riscos e perigos da energia elétrica

Nos últimos dez anos, houve uma sustentada e significativa redução das Taxas de Gravidade (TG) e Frequência (TF) dos acidentes da população com a rede elétrica das distribuidoras. A redução média da TG foi de 4,3% ao ano e da TF de 3,7% ao ano (mesmo levando-se em conta que há um esforço na melhoria da coleta de dados que pode acarretar um aparente aumento no número de acidentes quando, na verdade, os mesmos aconteciam, mas não eram reportados).

Essa tendência favorável de redução de acidentes da população com as redes das concessionárias é resultado de algumas ações que se complementam. Uma delas é a busca permanente, pelas distribuidoras, da melhoria das condições de segurança de suas redes. Embora necessária e indispensável, uma rede em perfeitas condições técnicas e de segurança, por si só, não impede que um ato imprudente resulte em acidentes. Daí a razão de uma ação complementar, feita com apoio da mídia, Secretarias de Educação e entidades ligadas à construção civil, que é a busca, também permanente, de conscientizar a população sobre os riscos e os cuidados ao lidar com energia elétrica.

Acidentes da população na rede elétrica


Em 2001, para uma população brasileira formada por 171,9 milhões, foram registradas 381 mortes, ou seja, uma morte para cada 451 mil habitantes. Se esta relação tivesse sido mantida, a estimativa para o ano de 2011 (população de 192,8 milhões) seria um total de 427 mortes. Considerando os 315 óbitos apurados, é razoável afirmar que, em 2011, foram "evitadas" 112 mortes. A melhor maneira de prevenir acidentes é por meio de informação e conscientização da população sobre os cuidados a serem observados na convivência com a rede elétrica.

Uma análise dos dados desagregados mostra que, dos quatro tipos de ocorrências abordados na campanha, os dois mais críticos são Construção e Manutenção Predial e Ligações Elétricas Clandestinas (que apresentam tendências opostas nos últimos anos). Enquanto nas atividades de Construção ou Manutenção Predial o número de mortes diminuiu de 88 para 82, de 2009 para 2011, nas Ligações Elétricas Clandestinas (furto de energia), o número de mortes aumentou, de 2009 para 2011, de 33 para 60. Cabe destacar que a região norte, com apenas 8% dos habitantes do país, foi responsável, nos últimos cinco anos, por cerca de 30% das mortes por Ligação Elétrica Clandestina. 

Detalhamento dos dados

Atualmente, as 64 distribuidoras do país fornecem seus dados para este sistema de informação, que separa os acidentes em 14 tipos de ocorrência (ver quadro). A análise dos dados dos últimos onze anos (de 2001 a 2011) mostra uma média anual de 940 pessoas acidentadas, sendo 329 fatais, 231 com lesões graves e 380 com lesões leves. Nos quatro tipos de ocorrências trabalhadas diretamente pelas Campanhas de Segurança (Construção ou Manutenção Predial; Instalar ou Reparar Antena de TV; Ligação Elétrica Clandestina - furto de energia e Soltar Pipa ou Papagaio;), o número médio de pessoas acidentadas anualmente é de 433, sendo: 146 fatais, 122 com lesões graves e 165 com lesões leves, representando 46% do total dos acidentados e respondendo, igualmente, por cerca de 46% tanto da taxa de gravidade (TG) como da taxa de frequência (TF) dos acidentes.

 

A Campanha

Com o slogan Segurança – Escolha a Vida, a intenção da Abradee e de suas distribuidoras é conscientizar a população sobre a sua responsabilidade na prevenção dos acidentes.

Entre as principais dicas da campanha destacam-se:

Construção ou Manutenção Predial: construir ou reformar perto da rede elétrica é perigoso. Nunca coloque vergalhões, barras de ferro, arames e outros materiais próximos à rede elétrica na hora de construir ou reformar. Para evitar acidentes, consulte sempre um profissional capacitado.

Ligação Clandestina: furtar energia é perigoso e ilegal. Quem faz ligação clandestina corre risco de morte e coloca a vida de outras pessoas em risco. Mantenha distância dos fios partidos ou caídos e não suba em postes da rede elétrica. Faça a sua parte: denuncie todos os tipos de ligação clandestina para a distribuidora da sua região.

Antena de TV: instalar antena perto da rede elétrica é perigoso. Para instalar ou consertar antenas, escolha um local longe dos fios da rede elétrica e espere o tempo ficar bom. Se a antena cair, não tente segurá-la ou recuperá-la. Para evitar acidentes, consulte um profissional qualificado.

Pipa: empinar pipa perto da rede elétrica é perigoso. Procure sempre locais afastados da rede elétrica para empinar pipas. Além disso, não use fios metálicos ou cerol e não tente soltá-la, caso fique presa. Oriente os seus filhos para a brincadeira ser sempre segura.

 

Além desses temas, a Campanha aborda também o tema específico de Utilização de Máquinas e Equipamentos Agrícolas, com a seguinte mensagem: esteja sempre atento para evitar acidentes com máquinas agrícolas movimentadas próximas da rede elétrica. E nunca faça queimadas, nem deixe a vegetação chegar perto dos fios e postes.

Na capital, a CEEE oferece palestras ministradas por técnicos de segurança em escolas e em canteiros de obras. Interessados podem contatar à Coordenadoria de Comunicação Social do Grupo CEEE, pelo email eventos@ceee.com.br.

  

Nota Técnica

A Taxa de Frequência expressa o número de acidentados nas redes elétricas da concessionária, no período de um ano, para cada 1 milhão de habitantes. Por exemplo: 925 acidentados, no período de um ano, em uma população de 185 milhões de habitantes, corresponde a uma TF = 5,0.

A Taxa de Gravidade é função do número de acidentados, bem como da sua distribuição entre mortes, lesões graves e lesões leves.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres