Notícias

CEEE lança Balanço Energético do RS de 2010

O documento, disponível na página da Companhia, é peça fundamental ao planejamento de empresas do setor

Por admin / Publicado: 29/10/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

Já está disponível para consulta o  Balanço Energético do RS (BERS) 2010 – Ano Base 2009, anuário elaborado pela Companhia em colaboração com a Secretaria de Infra-Estrutura e Logística (Seinfra), e que traz informações sobre a matriz energética estadual, consistindo em um documento essencial ao estudo e planejamento estratégico do Rio Grande do Sul. O  lançamento foi feito nesta sexta-feira (29)  pelo presidente do Grupo CEEE, Sérgio Camps de Morais, e  secretário de Infra-estrutura e Logística, Daniel Andrade. Diante de conselheiros da CEEE, funcionários e diretores de empresas do segmento de energia, houve a apresentação de uma série de dados sobre as diversas áreas que compõem a matriz energética gaúcha. Para Sérgio Camps, o Balanço Energético, em sua 31ª edição, é um documento fundamental ao planejamento estratégico de empresas, atendendo, ainda, aos segmentos de pesquisa e educação.

 

“É imprescindível a consulta às informações reunidas no Balanço Energético. A realização deste trabalho proporciona aprimoramento técnico à CEEE que, sem dúvidas, cumpriu esta tarefa de maneira honrosa. Considero um acerto a delegação desta atividade por parte da Secretaria de Infra-estrutura e Logística”, elogiou o Presidente, em referência à responsabilidade da Companhia pela elaboração do anuário, a partir do BERS 2005 – 2007. O engenheiro Gustavo Humberto Zanchi de Moura, um dos responsáveis pela elaboração do documento, apresentou os principais dados. A apresentação iniciou com informações sobre o mercado mundial de energia. Segundo ele, em 2030, o consumo no mundo poderá dobrar em relação a 1990.

 

“O consumo mundial de energia em 1990 foi de 8,755 bilhões de toneladas equivalentes de petróleo - tep (347,4 quadrilhões de Btu), conforme o International Energy Outlook 20091 - IEO 2009. Em 2006, esse valor atingiu 11,905 bilhões de tep. Considerando-se uma taxa de crescimento média de 1,5%, no período 2006 a 2030, podemos estimar que, em 2030, o consumo mundial seja de 17,094 bilhões de tep. Isto representa um crescimento de 43,59 % no mercado mundial de energia”, projetou. Ainda em relação às perspectivas, Moura destacou o consumo final de energia no Brasil de 1970 a 2030. “Considerando-se estimativas do IEO 2009 de um crescimento de consumo de energia de 2,6% ao ano (no período de 2006 a 2030), o País consumirá 398,2 milhões de tep em 2030. Em 2008, o consumo de energia por habitante no Brasil foi de 1,1944 tep. Os 226,39 milhões de tep consumidos pelo Brasil, em 2008, correspondem a 89,63% da Oferta Interna de Energia - OIE, sendo um consumo 3,65 vezes superior ao verificado em 1970”, acrescentou.

 

Em relação aos dados do Rio Grande do Sul, Moura informou que, no ano passado, o Estado manteve a primeira posição no cenário nacional na produção de biodiesel (B100), que representou 28% da produção total do País – em 2008 esta participação foi de 26% e em 2007, de 11%. Ao contrário do Brasil, o Rio Grande do Sul não está seguindo a tendência de crescimento de energias renováveis: no País, a participação da energia renovável em 2009 foi de 47,29% e no RS, de 32,66%. No ano passado, o setor de transportes liderou o consumo energético setorial, representando 41,80% do total do Estado. “A maior parcela de consumo foi do setor de transportes, com 4.251.000 tep, sendo que predominou o transporte rodoviário. O consumo de energéticos primários e secundários do setor industrial vem em seguida, representando 26,48%, com um consumo de 2.693.000 tep”, declarou.

 

Entre as fontes primárias da matriz energética,  observa-se que, em 2009, o petróleo foi a fonte que liderou no RS, representando 62,97% da oferta de fontes primárias. Na segunda posição, está a lenha, representando 13,15% do total das fontes primárias, seguido pela energia hidráulica, correspondendo a 9,46%, o carvão vapor, com 7,13%, e, em quinto lugar, com 4,04%, outras fontes primárias, como a composição da lixívia, da casca do arroz e da energia eólica. Com relação ao consumo final de fontes secundárias, em 2009 houve um decréscimo de 12,11% em relação a 2008. Na participação específica das fontes secundárias, a predominância no consumo é do óleo diesel, que está em primeiro lugar, com 31,84%, seguido pela eletricidade, com 30,59%, pela gasolina, com 18,60%, o álcool etílico anidro e hidratado (8,13%) e, na quinta posição, o GLP, com 6,88%.

 

Ao final do evento, Jaques Alberto Bensussan, um dos idealizadores do Balanço Energético, cuja primeira edição foi lançada em 1979, atualmente na Fundação Economia e Estatística, foi homenageado. “Estou contente por saber que o Balanço Energético está sendo elaborado no lugar certo, por pessoas dedicadas e com capacitação técnica”, salientou o homenageado. O Grupo CEEE realizou e publicou o BERS 2005 - 2007 e o BERS 2009 - Ano Base 2008. O Balanço Energético também está disponível para download no site do Grupo CEEE, no link www.ceee.com.br. A Secretaria de Educação irá receber 500 dos mil exemplares  produzidos, que serão destinados às bibliotecas dos educandários de ensino médio. A outra parte será destinada a órgãos públicos, universidades, empresas de energia e entidades setoriais.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres