Notícias

CEEE prepara logística para a retirada da plataforma P-53 do Porto de Rio Grande

Ações incluem a retirada dos cabos da linha de transmissão, existente sobre o canal de acesso à área portuária

Por admin / Publicado: 04/08/2008 Última modificação: 18/10/2019 16h26

Compartilhar

 

Dirigentes do Grupo CEEE, Petrobrás e da empresa WTorre estiveram reunidos, nesta terça-feira, 5, em Porto Alegre, para tratar sobre a saída da plataforma oceânica P-53, através do canal de acesso ao porto de Rio Grande, prevista para o final deste mês. As obras de montagem, em execução região portuária, no canteiro de obras da Quip S/A (Queiroz Galvão, Ultratec e Iesa), estão em fase final, com a conclusão prevista para o dia 15 de agosto. Participaram do encontro, o presidente do Grupo CEEE, José Francisco Pereira Braga, o diretor de Distribuição, Rogério Sele da Silva, os gerentes da Petrobrás, Rômulo de Miranda Coelho (Implementação de Empreendimentos) e Rogério Freire Machado (Setorial de Projetos da P-53), os dirigentes da WTorre, Glen Barroso Henrique e Luís Salgado, e técnicos da CEEE.

O objetivo do encontro foi tratar sobre a logística que prevê a retirada dos cabos da linha de transmissão aérea, para facilitar a passagem da plataforma, que tem como destino a Bacia de Campos, situada entre os estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro. Outra manobra semelhante ocorreu em abril deste ano, quando da entrada do pórtico-guindaste, de 85 metros de altura, que a WTorre trouxe da China para o Dique Seco, em construção na área portuária de Rio Grande. O presidente da CEEE, José Francisco Pereira Braga, afirma que a empresa trabalhará, novamente, com toda capacitação técnica que detém, dando uma dedicação especial a essa ação, a fim de garantir os serviços com rapidez e segurança.

A linha está localizada sobre o canal de acesso ao porto de Rio Grande, com uma extensão que vai desde o Tecon, em Rio Grande, até São José do Norte, situada a 72 metros do nível da água. A obra foi construída há mais de 15 anos, para integrar o município ao Sistema Interligado Nacional, dando fim ao abastecimento energético precário que havia na região. A linha foi projetada para permitir futura conexão à subestação de 12,5 MVA (megavolt-ampère), com previsão de execução até 2010, naquele município.

A plataforma P-53, com investimentos na ordem de R$ 1,3 bilhão, integra o PAC - Programa de Aceleração de Crescimento. Será instalada no campo de Marlim Leste, a 120 Km da costa, na Bacia de Campos. O casco possui 346 metros de comprimento, 56 metros de largura e 76 metros de altura. Depois de pronta, a plataforma terá 140 metros de altura e capacidade para produzir 180 mil barris/dia de óleo e seis milhões de metros cúbicos de gás, por dia, além de tratar e injetar 245 mil metros cúbicos de água por dia e gerar 92 megawatts de energia.

 

 

Garantido o abastecimento de energia elétrica

Os técnicos da CEEE e da WTorre instalarão, nos próximos 10 dias, três grupos de geradores, com capacidade de 8 megawatts, que vão abastecer com energia elétrica as 25 mil pessoas de São José do Norte e arredores, no Sul do Estado. A experiência anterior, em abril, comprova que a demanda máxima registrada foi de 5,5 megawatts. O presidente Braga reitera que as comunida-des envolvidas podem ficar tranqüilas, pois todas as medidas estão sendo tomadas, para garantir o fornecimento de energia elétrica.

Depois da retirada dos cabos e a passagem da P-53, inicia-se outra etapa da operação, que prevê a instalação de novos cabos, mais flexíveis e de maior resistência mecânica, que permitirão a entrada de outras estruturas no porto de Rio Grande. Em caso de necessidade, os cabos poderão ser tracionados, chegando a 100 metros de altura e possibilitando a passagem de outras embarcações.

A solução definitiva, que será a construção de travessia subaquática de dois quilômetros, em 69 mil Volts, aguarda assinatura de contrato com o Governo do Estado para dar prosseguimento a fase de execução das obras. Os investimentos necessários a esse empreendimento, cerca de R$ 19,8 milhões, serão custeados, exclusivamente, pelo Governo Estadual, através de recursos da Superintendência do Porto de Rio Grande e do Grupo CEEE. A primeira etapa da obra, a partir do início dos trabalhos, prevê a conclusão em 120 dias. O presidente do Grupo CEEE, José Francisco Pereira Braga, ressalta a importância dessa estrutura para futuros projetos que, certamente, virão para o porto de Rio Grande, contribuindo para o desenvolvimento do Estado e, em especial, à região Sul. Grandes embarcações poderão ingressar no canal, sem quaisquer impedimentos por via aérea.

.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres