Notícias

Comunidade 04 de Junho recebe regularização da rede de energia elétrica

Obra que integra o Programa Energia Legal da CEEE foi entregue no último sábado, dia 27.

Por admin / Publicado: 29/06/2015 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

O Grupo CEEE entregou no último sábado, 27, a obra de regularização da energia elétrica da Comunidade 04 de junho, que beneficia diretamente 246 famílias e cerca de 800 pessoas que moram nessa localidade do bairro Lomba do Pinheiro, zona leste de Porto Alegre. Durante o evento, que reuniu Diretoria e técnicos da Companhia, representantes da Prefeitura Municipal e de moradores, houve espaço também para esclarecimentos sobre o uso racional, econômico e seguro da energia elétrica.

Com a conclusão da obra, técnicos da CEEE-D fizeram a retirada dos cabos clandestinos - conhecidos como “gatos” – que, até então, abasteciam de forma precária e com riscos à segurança, os moradores da região. Para a execução do projeto, foram construídos 4,5 quilômetros de rede e instalados 90 postes e oito transformadores. O investimento na rede foi de R$ 415,5 mil. A estimativa é de que, com esta regularização, haja uma redução significativa de perdas no sistema elétrico nessa região, refletindo nos indicadores técnicos e na melhoria na qualidade da energia fornecida, inclusive aos clientes regulares do entorno da Comunidade 04 de Junho.

O presidente do Grupo CEEE, Paulo de Tarso Pinheiro Machado, salientou a importância de mobilizar a comunidade em benefício de causas essenciais como a energia elétrica. “Estamos aqui cumprindo nossa missão de empresa pública”, manifestou. O diretor de Distrubuição do Grupo CEEE, Júlio Hofer, elogiou a mobibilização da comunidade e ressaltou a fé e o trabalho dos moradores para o resultado deste projeto, discurso endossado e ampliado pelo presidente da Companhia. Eles destacaram os benefícios da energia à vida das pessoas e o presidente aproveitou para reforçar os descontos permitidos pela tarifa social aos clientes que possuem Número de Inscrição Social (NIS), pré-requisito para ter acesso ao programa. Nesses casos, o cadastramento deve ser feito junto a um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da Capital.

A representante da Associação de Moradores, Delaine de Oliveira, que falou em nome da comunidade, relembrou as etapas prévias percorridas pelos moradores para a chegada da energia regular. “Valeu o esforço e agora estamos junto com todos os vizinhos aqui para comemorar e agradecer à CEEE por esta conquista que melhora a vida de todos”. Segundo ela, a união dos moradores deve continuar em busca de novas conquistas à comunidade, como a instalação de pontos de iluminação pública por parte da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) nas vias, e a regularização da água pelo Departamento Municipal de Águas e Esgoto (Dmae). Em relação a essas demandas, o vice-prefeito, Sebasião Melo, que estava presente no evento, já anunciou aos moradores da 04 de Junho o agendamento de um encontro, ainda nesta semana, para resolver essas questões. “Precisamos atuar com transversalidade, com a união de serviços pelo bem das pessoas de todas as regiões desta cidade”, disse.

 Delaine lembrou, ainda, as questões relacionadas à segurança da comunidade. “Agora, podemos ligar um chuveiro, sem medo. E nesta época do ano, especialmente, tomar um banho quente é maravilho”, comemorou. Adriane Ramos, que reside no local há 10 anos na 04 de Junho, conta que vivia atormentada por todas as situações de risco que viu e viveu no local. “Quase perdi um dos meus filhos quando ele tinha quatro anos durante um curto-circuito que atingiu a fiação clandestina”, contou.

Consumo consciente

Pelo Programa Energia Legal, a CEEE-D fornece o kit monofásico e, por um período de seis meses, oferece aos clientes residenciais monofásicos uma conta educativa, que cobra a taxa mínima de energia da unidade consumidora, mas mostra também o valor real da conta. Essa ação da Empresa tem o objetivo de fazer com que as pessoas entendam a importância de se utilizar racionalmente a energia elétrica. O valor mínimo da tarifa educativa hoje para uma conta monofásica é de R$ 26,17. Ligações bifásicas têm o mesmo benefício, mas por três meses e, nesse caso, o valor é de R$ 39,79.

Ainda por meio do Energia Legal, os clientes que pagam as 12 primeiras parcelas dos kits de entrada da medição – incluídas na própria conta – recebem um abono das 12 últimas prestações, desde que estejam com o pagamento das faturas em dia. Durante o período de vigência da conta educativa, equipes da CEEE-D seguem fazendo visitas regulares aos consumidores que gastaram mais do que 250 kWh (quilowatt-hora), com o objetivo de orientar sobre os hábitos de consumo que podem ajudar a reduzir o valor da conta.

Com o programa de regularização, a CEEE-D já beneficiou mais de 6,7 mil famílias, desde 2012, a maioria de comunidades da Capital. No total, nesse período, foram emitidas 133 mil faturas, o que corresponde a R$ 12 milhões de faturamento e a uma arrecadação de R$ 10,2 milhões. A adimplência dos clientes do projeto está na ordem de 86%.

 

Confira em http://www.flickr.com/photos/grupoceee as imagens dessa ação e outras fotos do Grupo CEEE.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres