Notícias

Construção de linha de transmissão subterrâneada CEEE avança em Porto Alegre

Percurso subterrâneo da obra parte da Subestação Porto Alegre 4, na esquina das Avenidas Borges de Medeiros e Ipiranga.

Por admin / Publicado: 21/01/2014 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

A CEEE avança no trabalho de construção do trecho subterrâneo da nova linha transmissão de energia elétrica de 69 mil Volts que liga a subestação Porto Alegre 10 (Ipiranga com Vicenteda Fontoura) à futura SE Menino Deus (Padre Cacique), na capital. O percurso subterrâneo da obra parte da Subestação Porto Alegre 4, localizada na esquina das Avenidas Borges de Medeiros e Ipiranga.

O empreendimento, no valor de R$ 9,7 milhões, é composto por 3,3 quilômetros do trajeto construído de forma subterrânea (entre as Subestações Porto Alegre 4 e Menino Deus), eliminando qualquer impacto visual no trecho em que necessita cruzar a área do Parque Marinha do Brasil. O conjunto de obras, que inclui a subestação Menino Deus, será a principal fonte de alimentação ao estádio Beira-Rio, local que sediará os jogos da Copa do Mundo na capital gaúcha em 2014.

 Além de ser importante à segurança do fornecimento ao local dos jogos durante a Copa do Mundo de 2014, este conjunto de obras reforçará o sistema de distribuição de energia elétrica para clientes dos bairros Assunção, Cristal, Menino Deus, Praia de Belas e Santa Teresa. A Subestação Menino Deus, no valor de R$ 23,9 milhões, receberá dois transformadores de 25 MVA (megavolts-ampères), totalizando uma potência disponível de 50 MVA.

Essa será uma das unidades de energia mais modernas operadas pela CEEE na capital, contando com a tecnologia GIS (Gas Insulated Switchgear), que faz uso do gás SF6 como isolação. Os equipamentos que serão instalados junto ao prédio em construção nas proximidades do Beira-Rio já estão no Brasil, vindos de uma fábrica da Alemanha. Eles desembarcaram no Porto de Navegantes, em Santa Catarina, na última semana de dezembro.

Segundo o diretor de Distribuição do Grupo CEEE, Guilherme Barbosa, uma subestação com essas características traz benefícios para a empresa e também é importante para a melhoria da qualidade da energia elétrica que chega aos clientes. Barbosa destaca que “subestações que utilizam essa tecnologia podem ser instaladas em espaços menores, emitem menos ruídos e apresentam redução de problemas operacionais”.

 

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres