Notícias

Nova LT na zona norte de Porto Alegre já tem 20 estruturas instaladas

Obra, de R$ 45 milhões, vai triplicar a capacidade da Subestação Porto Alegre 8, beneficiando 200 mil pessoas.

Por admin / Publicado: 06/12/2007 Última modificação: 18/10/2019 16h25

Compartilhar

Obra, de R$ 45 milhões, vai triplicar a capacidade

da Subestação Porto Alegre 8, beneficiando 200 mil pessoas

 

O cenário ao longo da Avenida Assis Brasil, na zona norte de Porto Alegre, está sendo alterado para receber a nova Linha de Transmissão (LT), de 230 mil Volts, obra da Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE GT). Em dez dias, já foram instaladas 20 das 59 estruturas de concreto da LT, que terá 18 quilômetros. Os postes pesam 14 toneladas e possuem 35 metros de altura e um metro e meio de diâmetro. Essa infra-estrutura vai possibilitar a conexão da energia entre as Subestações (SEs) Gravataí 2 e Porto Alegre 8, localizada nas Avenidas Assis Brasil, com a Baltazar de Oliveira Garcia, próximo ao Terminal Triângulo. Nesta SE, serão instalados dois novos transformadores de 83 MVA (megavolt-ampère), triplicando a capacidade de fornecimento de energia para 20 bairros da capital. Após a finalização desta etapa do serviço, ocorre o lançamento e a instalação dos cabos entre as duas subestações. O investimento total, neste empreendimento, é de R$ 45 milhões.

Desde o final de novembro, a cada dia, 15 pessoas instalam, em média, duas estruturas gigantes ao longo da avenida. "A operação é bastante complexa. Estamos trabalhando com materiais pesados, numa parte da cidade onde há muito movimento e o trânsito é intenso, portanto, tudo precisa ser feito com precisão e na maior segurança", informa o diretor de Transmissão do Grupo CEEE, José Francisco Pereira Braga. Segundo ele, "esse projeto foi idealizado, a partir de estudos dos técnicos da empresa, em função do aumento da demanda de energia, proveniente do pólo industrial instalado na região norte da capital. Além disso, dados de mercado demonstram que outros segmentos, como comércio e residências, também vêm apresentando elevação no consumo, o que exige a necessidade de implantação de reforços na infra-estrutura de transmissão e distribuição de energia elétrica, visando garantir uma energia de qualidade à população". Ele explicou, ainda, que, com essas obras, Porto Alegre ganhará uma nova fonte de alimentação, que proporcionará remanejos no sistema elétrico, evitando a falta de energia em situações especiais.

Benefício para 200 mil pessoas

A obra da CEEE GT está localizada junto ao maior pólo industrial da capital, composto por 410 indústrias e uma população estimada de 200 mil pessoas. Consumidores residenciais, industriais, comerciais e de serviços dos bairros Sarandi, Jardim Planalto, Jardim Itu, Jardim Lindóia, Parque São Sebastião, Cristo Redentor, Vila Passo Mangueira, Vila Leão, Vila Minuano, Vila São Borja, Vila Itu-Sabará, Vila Passo das Pedras, Vila Brasília, Vila Nazaré, Vila Jardim, Vila Ipiranga, Parque do Sol, Parque Residencial Morumbi e Vila Nova Brasília serão beneficiados pelas melhorias previstas para estarem concluídas em fevereiro de 2008.

O projeto de melhoria à zona norte de Porto Alegre terá continuidade durante o ano de 2008, com a construção de uma nova linha de sub-transmissão de 69 mil Volts, de quatro quilômetros, composta por estruturas metálicas e de concreto, interligando a Subestação Porto Alegre 8 à Subestação Porto Alegre 1, na Avenida Andaraí. Serão beneficiados os consumidores dos bairros Passo D’Areia, Bela Vista, Jardim São Pedro, Vila Maria Gorete, Três Figueiras, Higienópolis, Chácara das Pedras e Cristo Redentor. A obra de R$ 4,0 milhões, prevista para estar concluída em fevereiro de 2009, substitui uma linha existente há cerca de 20 anos, composta por 160 estruturas de madeira e vai passar pelo traçado formado pelas ruas Líbero Badaró, avenidas Plínio Brasil Milano e Grécia, Praça Darcy Vignoli, ruas Roque Calage, Umbu, Pedro Alvares Cabral, Visconde de Macaé, avenida do Forte, travessa Orion, ruas Colômbia, Mali, Gomes de Freitas, Lopes Teixeira e Raul Cruz Jobim. A nova linha tem características modernas e trará maior confiabilidade ao sistema de abastecimento de energia elétrica e aos moradores e setores do comércio e indústria desses bairros da capital.

Outras obras na capital

Na capital, a empresa trabalha, ainda, na ampliação de outras unidades de energia. Neste verão, o novo transformador de 83 MVA (megavolts-ampère) que vai duplicar a capacidade da Subestação Porto Alegre 10, localizada na rua Dona Alice (entre as ruas Lucas de Oliveira e Vicente da Fontoura), no bairro Petrópolis, já estará em operação, beneficiando diretamente mais de 400 mil pessoas. Após a conclusão das obras nessa SE, onde foram aplicados, com recursos próprios, R$ 5,5 milhões, haverá uma melhoria na confiabilidade da infra-estrutura de transmissão da capital, com redução dos níveis de sobrecarga, hoje em 14%. O incremento garante o abastecimento não só à região a que subestação abrange, que inclui os bairros Petrópolis, Santana e Jardim Botânico, mas permite, também, o remanejo de consumidores no entorno dela, caso alguma outra unidade apresente problema e saia temporariamente do sistema. Ela é importante, ainda, por alimentar outras subestações de distribuição da capital, especialmente a Porto Alegre 3 (na Guilherme Schell), que também está sendo ampliada, e a Porto Alegre 5 (na Casemiro de Abreu).

A instalação de um novo transformador de 50 MVA (megavolt-ampère) na Subestação Porto Alegre 3, localizada na rua Guilherme Shell, esquina com Oscar Pereira, é outra obra em execução pela Companhia e que vai proporcionar que a empresa passe a operar com uma potência de 69 MVA nessa unidade, permitindo a duplicação do número de alimentadores instalados de 13,8 quilovolts, redes que partem de uma subestação e abastecem uma quantidade determinada de consumidores em uma área específica. Atualmente, há seis alimentadores de energia nessa região, que precisem ser redimensionados. Um transformador de 17 MVA, que funcionava no local, ficará de reserva, podendo ser usado em situações emergenciais. O outro equipamento, de 19 MVA, será reformado e continuará operando em conjunto com o novo de 50 MVA.

O Plano de Investimento do Grupo CEEE, para o período 2007/2008, é de R$ 320 milhões, sendo R$ 139,4 aplicados na área de transmissão, R$ 122, 6 na distribuição e R$ 56 milhões na geração.

Assessoria de Comunicação Social do Grupo CEEE

Foto: Fernando C. Vieira

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres