Notícias

Energia Legal da CEEE já regularizou o fornecimento de energia elétrica para 3490 famílias

Além do resgate à cidadania, ações visam reduzir perdas e melhorar a qualidade do fornecimento de energia elétrica.

Por admin / Publicado: 11/12/2013 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

O programa Energia Legal da CEEE Distribuição já regularizou a energia elérica para 3.490 famílias desde que foi lançado, em abril de 2012. Conforme relatório da Divisão de Medição e Proteção da Receita (DMPR), área que coordena as ações que integram esse programa na Companhia, 98% dessas ligações foram realizadas em moradias de clientes de bairros ligados à Regional Metropolitana.

Isso representa, segundo o diretor de Distribuição da CEEE, Guilherme Barbosa, além do resgate da cidania a milhares de pessoas, ganhos também à empresa, que pode oferecer uma energia de melhor qualidade ao entorno dessas regiões e diminuir as perdas comerciais geradas pelas ligações clandestinas, os chamados gatos. Barbosa informa que com as ações executadas nesse período houve a emissão de 21.350 faturas, o que correspondente a R$ 1,3 milhão de faturamento e arrecadação de R$ 1,1 milhão.

A CEEE estima ligar, ainda neste mês, mais 600 novos clientes das comunidades Quinta do Portal, Jardim Renascer, Jardim do Verde e Jardim Protásio Alves II, todas de Porto Alegre. Na Comunidade Waldemar Gonçalves Pires, localizada na zona Sul da Capital, o trabalho foi encerrado no último dia 06 com a retirada, pelas equipes da Companhia, das ligações clandestinas existentes antes da construção da nova rede. Especificamente nessa obra, que beneficiou 80 famílias e onde foram instalados 27 postes, dois transformadores e um quilômetro de rede, a empresa investiu R$ 92,5 mil.

Programa tem ações educativas

Por meio do Programa Energia Legal, os consumidores que optam por instalação monofásica recebem um incentivo da CEEE Distribuição, que fornece e instala o kit, mediante pagamento parcelado em 24 vezes na fatura da energia elétrica. Se o cliente paga corretamente as primeiras 12 prestações, é isentado do valor restante.

Depois de regularizada a energia, os clientes passam a receber uma conta educativa, válida durante seis meses, e que permite que essas pessoas saibam o real consumo da residência, mas paguem apenas a taxa mínima de uma ligação monofásica, ou o que equivale hoje a aproximadamente R$ 10,00. O objetivo dessa prática é conscientizar os usuários da importância de se utilizar racionalmente a energia elétrica.

Durante o período de adaptação, equipes da CEEE seguem fazendo visitas regulares aos consumidores que gastaram mais do que 250 kW/h no período de vigência da conta educativa. O principal objetivo dessas visitas é orientar sobre os hábitos de consumo que podem ajudar a reduzir o valor da conta. Somente neste ano, foram feitas 557 visitas, durante as quais os profissionais da Companhia identificam situações passíveis de fiscalização nas comunidades e repassam aos setores responsáveis. A CEEE acompanha as unidades que são cortadas ou encerradas para também identificar a necessidade de atuar, caso não haja novo pedido de ligação no endereço. Também mantém um canal direto com as lideranças comunitárias e elas avisam à CEEE quanto a situações especiais na região.

Para reduzir a incidência de novas ligações clandestinas, é instalada a rede antifurto de energia, blindada com camada metálica, em altura superior ao padrão, que dificulta ainda mais o acesso à rede, dificultando o furto de energia elétrica.

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres