Notícias

Estado, CEEE e Renner patrocinam reforma de quadra esportiva do Bairro Bom Jesus

Obras de melhoria, realizadas em parceria entre a CEEE, Renner e Secretaria de Justiça, vão aprimorar atendimento de entidade

Por admin / Publicado: 05/10/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

A partir da próxima quinta-feira, dia 07, a Associação Famílias em Solidariedade (Afaso), no Bairro Bom Jesus, estará capacitada a oferecer às 199 crianças e adolescentes que atende um espaço mais adequado à realização de oficinas esportivas, lúdicas e recreativas. Às 10h, será inaugurada, na sede da entidade, uma quadra esportiva coberta, reformada com recursos da Rede Bom Jesus, um projeto de desenvolvimento social realizado pelo Grupo CEEE e Lojas Renner, com apoio da Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social (SJDS). No evento, que contará com a presença de representantes dos patrocinadores e do secretário estadual de Justiça, Fernando Schüler, haverá apresentações dos jovens participantes das Oficinas de Dança e de Esporte, que integram o projeto “Oficinas Lúdicas: melhoria no atendimento”.

 

As obras de melhoria na quadra de esportes, chamada “Quadra de Ouro” pelas crianças atendidas, representam um investimento permanente para a Afaso, que buscou parceiros interessados em apoiar as Oficinas Lúdicas. Os recursos da Rede Bom Jesus destinados à entidade possibilitaram a contratação de profissionais capacitados a ministrar aulas e a reforma da quadra esportiva, agora apropriada ao lazer e à prática de esportes. Com o objetivo de aprimorar habilidades em voleibol, basquetebol, handebol e jogos de mesa (xadrez, dama e ping pong) e de desenvolver a expressão musical e corporal, as Oficinas Lúdicas complementam o processo educativo desenvolvido pela Afaso com crianças e adolescentes de 6 a 16 anos. Realizado em turno inverso ao da escola, o atendimento engloba cursos de informática e reforço escolar, além de duas refeições diárias e acompanhamento junto às famílias.

 

Parceria inédita entre a Secretaria da Justiça, o Grupo CEEE e as Lojas Renner, o projeto Rede Bom Jesus proporcionou investimento de R$ 1 milhão na comunidade, oriundo da Lei da Solidariedade, para ações de inserção no mercado de trabalho e ajuda a mulheres, crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. A iniciativa é dividida em duas partes. A primeira apoia e disponibiliza recursos a nove entidades do Bairro Bom Jesus – entre elas a Afaso. Já a segunda parte prevê os Encontros Moderados de Articulação (EMA), cujo objetivo é apoiar, mobilizar e articular os três setores da sociedade presentes na comunidade, de forma a visualizar as ações desenvolvidas e definir indicadores que irão orientar a gestão dos recursos.

 

A Lei da Solidariedade permite a renúncia fiscal de até 75% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por parte do governo do Estado para que as empresas e entidades do terceiro setor possam aplicar em projetos sociais. Se uma empresa recolhe até R$ 50 mil por mês de ICMS, pode contribuir com 20% em projetos sociais, abatendo 75% dos 20%.

 

Saiba mais sobre a Afaso

 

A Associação Famílias em Solidariedade (Afaso) é uma instituição de caráter privado, porém com fins públicos, que desenvolve atividades com famílias em situação de vulnerabilidade social. O atendimento da entidade a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social tem a finalidade de protegê-las de situações de risco e da exclusão social. A entidade atende à comunidade da Vila Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Bom Jesus, que integra a chamada Grande Mato Sampaio. Neste conjunto de vilas, onde moram mais de 28 mil pessoas, de acordo com dados de 2000 do IBGE, os baixos indicadores de desenvolvimento humano e de qualidade de vida são demonstrados através da infraestrutura precária, com serviços ineficientes de recolhimento de lixo e irregularidade fundiária.

 

Por essas razões, a Afaso implantou sua sede nesta região, em 1994, na tentativa de reverter a exclusão social e ofertar mecanismos e serviços de proteção e de capacitação profissional às famílias. Além das oficinas, os jovens atendidos participam de atividades recreativas conforme a idade, como brincadeiras de roda e cantos com gestos que garantem o desenvolvimento das habilidades motoras, e exercícios físicos, objetivando a melhora da postura corporal e do desempenho de futuros atletas.

 

Fonte: Carla Damasceno Ferreira (texto). ACS/Grupo CEEE.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres