Notícias

Exposição no CCCEV apresenta temática diversificada de Danúbio Gonçalves

Mostra em parceria com o Sesc apresenta 62 quadros e documentário sobre o artista

Por admin / Publicado: 29/07/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

 

A elaboração do charque, os árduos afazeres dos mineiros de Butiá, o balonismo, a beleza da natureza campeira. Estes e outros temas irão integrar a exposição “Aos Grandes Mestres – Danúbio Gonçalves”, que estará em cartaz no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV) a partir do próximo dia 28, às 10h, e irá possibilitar aos visitantes a experiência de olhar o mundo através da alma do pintor, desenhista e gravador bageense Danúbio Gonçalves, um dos mais importantes artistas plásticos do Estado. A mostra, que ficará na Sala O Arquipélago até 28 de agosto, irá reunir 62 quadros nas técnicas de pintura a óleo, desenho a lápis, xilogravura, litogravura e aquarela.

 

Obras em acrílico sobre tela do artista já foram atração no Centro Cultural do Grupo CEEE em 2008, na mostra Balonismo II, tema que desperta entusiasmo no pintor, que, desde 1997, participa dos festivais de balonismo que acontecem em Torres. Nesta oportunidade, o público irá conferir, além dos trabalhos acerca deste esporte aéreo praticado com um balão de ar quente, as séries Xarqueadas e Mineiros de Butiá, que consistem em xilogravuras; Marrocos, de litografias; Temas Campeiros, com temática sobre a vivência do artista nas estâncias da região da Campanha, Figuras Femininas e Retratos – série que engloba até uma pintura do escritor alagoano Graciliano Ramos, datada de 1951.

 

A curadoria está a cargo de Ediolanda Liedke, que idealizou a mostra com base nas filmagens para o documentário Danúbio Quadro a Quadro, dirigido pelo cineasta Henrique de Freitas Lima. A vida e a obra do artista são apresentadas, portanto, em linguagem semelhante ao filme. “A série Xarqueadas passou para a posteridade como o único documento sobre os processos de elaboração do charque. Por conta dela, inserida na categoria de arte social, Danúbio recebeu o Prêmio Viagem ao País, concedido durante o 2° Salão de Arte Moderna do Rio de Janeiro“, conta Ediolanda. Com duração de oito minutos, o trailer do documentário de Freitas Lima, que também dirigiu os aclamados filmes Concerto Campestre e Contos Gauchescos, será projetado constantemente na sala O Arquipélago, de modo a complementar a exposição.

 

Estará disponível, ainda, um caderno de Danúbio com desenhos de observação das viúvas e pescadores da vila portuguesa de Nazaré. “Na vida de Danúbio, estes cadernos substituem a utilização da máquina fotográfica. Folheá-los é fascinante e um privilégio”, acrescenta a curadora da exposição. Henrique antecipa que, próximo ao encerramento da exposição, em data ainda a ser confirmada, o documentário sobre a trajetória do pintor será exibido publicamente pela primeira vez no auditório do CCCEV.

 

“As filmagens ocorreram em Porto Alegre, Bagé e na Cidade do México, onde Danúbio conviveu, in loco, com o legado de artistas como Leopoldo Mendez, Diego Rivera e David Siqueiros, que influenciaram fortemente não apenas a sua obra, mas também a de outros artistas de sua geração, como Carlos Scliar, Glênio Bianchetti e Vasco Prado”, revela Henrique. Com apoio do Fundo de Apoio à Cultura de Porto Alegre (Fumproarte), o documentário sobre Danúbio Gonçalves é o primeiro episódio da Série Grandes Mestres.

 

Aos Grandes Mestres – Danúbio Gonçalves é uma realização do projeto Arte SESC – Cultura por Toda a Parte, que conta com a parceria da Freitas Lima Consultores Associados e do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. Porto Alegre é a quinta cidade gaúcha que irá receber a exposição, cujo horário de visitação, no CCCEV, será de terças a sextas-feiras, das 10h às 19h, e aos sábados, das 11h às 18h. A entrada é franca.

 

 

Saiba mais sobre Danúbio Gonçalves

 

Nascido em 1925, Danúbio se mudou para o Rio de Janeiro aos dez anos de idade, onde permaneceu por 14 anos. Ao longo de sua carreira, visitou países do bloco comunista, rejeitou a Bienal de São Paulo e o abstracionismo, defendendo uma arte regional, de cunho social, próxima ao Realismo Socialista. Em 1943, estudou com Cândido Portinari e fez cursos de gravura em metal, com Carlos Oswald, e de xilogravura, com Axl Leskoschek, importantes gravadores residentes na capital fluminense.

 

Sob a orientação de Portinari, desenhou modelo vivo com artistas como Iberê Camargo e freqüentou o atelier do paisagista e pintor Roberto Burle Marx e do escultor August Zamoyski além de ter estudado na Sociedade Brasileira de Belas Artes. No seu retorno a Bagé, conheceu Glauco Rodrigues e Enio Bianchetti e, com eles, fundou o Clube de Gravura de Bagé. Em 1950, viajou a Paris onde realizou estudos na Academie Julian.

 

Na volta ao Brasil, em 1951, participou, em Porto Alegre, do Clube Amigos da Gravura, fundado por Carlos Scliar e Vasco Prado. Até 1969, Danúbio dedica-se ao mosaico, assinando obras em painéis na Igreja de São Roque, em Bento Gonçalves, no Santuário do Sagrado Coração de Jesus, junto ao túmulo do padre Réu, em São Leopoldo, e na igreja de São Sebastião, em Porto Alegre.


Danúbio foi professor de gravura do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio de Grande do Sul (UFRGS) e diretor do Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. Entre 70 e 78, ministrou palestras e cursos de xilogravura, litografia, desenho e pintura nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.


Em 1992 recebeu o Título Honorífico de Cidadão Emérito de Porto Alegre, concedido pela Câmara Municipal de Vereadores. No mesmo ano, ilustra Perótica, portfólio com poesias de Luís Coronel e, em 1995, publica Do Conteúdo à Pós-Vanguarda, editado pela Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre.

 

A obra de Danúbio Gonçalves está presente em diversas coleções particulares e acervos referenciais, a exemplo do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e da Pinacoteca do Estado de São Paulo e do Museu de Arte Moderna de São Paulo, entre outros.

 

O que: Aos Grandes Mestres - Danúbio Gonçalves.

Quando: de 28 de julho, a partir das 10h, a 28 de agosto.

Onde: Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, localizado à Rua dos Andradas, 1223, Centro Histórico.

Quanto: entrada franca.

Realização: SESC-RS.

Apoio: Freitas Lima Consultores Associados e Centro Cultural CEEE Erico Verissimo.

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres