Notícias

Funcionários da CEEE presenteiam jovens atendidos por entidades

Mais de 800 crianças e adolescentes de oito instituições do Bairro Bom Jesus receberam doações

Por admin / Publicado: 10/12/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

O espírito natalino de solidariedade contagiou o Centro Administrativo do Grupo CEEE, na quarta-feira (8), quando os voluntários do Ilumine Vidas – Programa de Voluntariado Corporativo da Empresa entregaram presentes de Natal aos representantes de oito instituições do Bairro Bom Jesus. As doações serão destinadas a cerca de 800 afilhados, com idade até 16 anos, selecionados pelos voluntários do Ilumine Vidas e apadrinhados por funcionários da Companhia, que os presentearam com brinquedos, roupas e calçados. As crianças e adolescentes são atendidas por entidades sociais integrantes da Rede Bom Jesus, projeto de desenvolvimento social realizado pelo Grupo CEEE e Lojas Renner, com apoio da Secretaria de Justiça e Desenvolvimento Social (SJDS). Os contemplados com as doações são o Movimento para Uma Infância Melhor (MIM),  Associação Nossa senhora do Perpétuo Socorro (Anspeso), Creche Tia Beth, Associação Famílias em Solidariedade (Afaso),  Centro Cultural James Kulisz (Cejak ), Centro de Triagem da Vila Pinto (CTVP), Centro São José e o Circo Girassol, que encantou o público com um espetáculo de artes circenses.

 

Sobre a ação, que mobilizou colaboradores de todos os setores da CEEE, o presidente em exercício, Sílvio Marques Dias Neto, declarou que a ação consistia em um momento especial, no qual era necessário refletir sobre a vontade de construir um mundo melhor para se viver. “Momentos como este possibilitam que, ao longo da vida, deixemos um rastro de solidariedade”, enfatizou Dias Neto. Para Débora Rodrigues, atuante no Circo Girassol e coordenadora do projeto de oficinas com técnicas circenses do Bairro Bom Jesus, que reúne 30 jovens, a celebração no Centro Administrativo foi recebida com surpresa e alegria.

 

“Este evento de encerramento veio para abrilhantar o final de um ano com significado tão especial para nós, pois os recursos da Rede Bom Jesus, também destinados a nossa entidade, possibilitaram o desenvolvimento deste projeto e um contato maior com a comunidade”, elogiou. A representante do Centro Cultural James Kulisz  e do Centro de Triagem da Vila Pinto, Marli Medeiros, agradeceu à Diretoria do Grupo CEEE pelo reconhecimento dos movimentos das instituições sociais do Bairro Bom Jesus. “Superação é a palavra que encontro para dizer que, a cada ano, é emocionante constatar a mobilização  dos  funcionários  da CEEE  em prol desta causa”, declarou.

 

De novembro até o último dia 6, os empregados depositaram os presentes em postos de coleta, espalhados pelos prédios do Centro Administrativo da Empresa. Os padrinhos presentearam crianças e adolescentes previamente selecionados em uma lista, elaborada pela Coordenadoria de Sustentabilidade da CEEE, a qual continha detalhes diversos, como idade, numeração de roupas e calçados e o time de futebol de preferência de cada jovem elencado. Todas as instituições atendem a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Este é o terceiro ano consecutivo da campanha de Natal interna da organização. Em 2008, foram entregues doações a cerca de 200 crianças e, no ano seguinte, foram atendidas 400 crianças da Vila Amazônia , na zona norte de Porto Alegre .

 

Parceria inédita entre a Secretaria da Justiça, o Grupo CEEE e as Lojas Renner, o projeto Rede Bom Jesus proporcionou  neste ano  investimento de R$ 1 milhão na comunidade, oriundo da Lei da Solidariedade, para ações de inserção no mercado de trabalho e ajuda a mulheres, crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. A Lei da Solidariedade permite a renúncia fiscal de até 75% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por parte do governo do Estado para que as empresas e entidades do terceiro setor possam aplicar em projetos sociais. Se uma empresa recolhe até R$ 50 mil por mês de ICMS, pode contribuir com 20% em projetos sociais, abatendo 75% dos 20%.

 

Fonte: Carla Damasceno Ferreira (texto) e Beto Rodrigues (foto).