Notícias

Furto de fios obriga CEEE a repor mais de cinco mil metros de redes de energia no litoral norte gaúcho

A programação de trabalho especial da Companhia, na região, envolveu 44 equipes.

Por admin / Publicado: 07/09/2007 Última modificação: 18/10/2019 16h25

Compartilhar

Os técnicos da Divisão do Litoral Norte da Companhia de Distribuição de Energia Elétrica, com sede em Osório, precisaram repor, desde a noite de quinta-feira, véspera do feriado, mais de cinco mil metros de redes e outros 4,5 mil de ramais de serviço, que foram furtados em ruas dos balneários do litoral norte. A empresa recebeu, através do seu teleatendimento 0800.721.2333, mais de 600 chamadas sobre falta de redes e ramais, nas praias, nos últimos dias. O trabalho de atendimento aos consumidores, entre Torres e Balneário Pinhal, foi reforçado pela Companhia, em função do final de semana prolongado e da previsão de que haveria, por parte dos clientes, um aumento no número de informações sobre roubos de redes e ramais de energia.

A programação de trabalho especial para esses dias, na região, envolveu 44 equipes, sendo duas pesadas - integrada por caminhões e mais eletricistas - para atuação específica em Tramandaí e Balneário Pinhal, duas localidades que registram maior incidência de furtos de fios de cobre. Em Capão da Canoa, Arroio do Sal e Torres, até o final da tarde de sábado (08), todas as solicitações recebidas através do teleatendimento da CEEE foram atendidas. Na praia de Tramandaí, uma das cidades com maiores problemas, ainda existem 130 notas em serviço neste domingo. Em Balneário Pinhal, desde o início da operação, os técnicos realizaram mais de 300 reparos.

O Chefe da Divisão Regional Litoral Norte da CEEE, José Antônio Lopes dos Santos, disse que o objetivo desta operação foi restabelecer o fornecimento de energia aqueles consumidores que tiveram as redes furtadas no menor tempo possível. “Estamos buscando alternativas para por um fim a esse problema”, acrescentou, lembrando que a CEEE, a Secretaria de Segurança do Estado e as delegacias de polícia civil do litoral norte estão trabalhando em conjunto para implementar um plano de ação mais eficaz na região, a fim de acabar com esse tipo de crime, que traz prejuízo tanto aos consumidores quanto à empresa. Ele informou, ainda, que, nos últimos meses, a média diária de reclamações dessa natureza, feitas através do telefone 0800.721.2333, chega a 60 casos.

Uma das medidas práticas efetivas que a CEEE vem adotando, desde o ano passado para coibir o furto junto às redes de distribuição da CEEE, é a utilização, em substituição aos fios de cobre, de materiais alternativos, e sem valor comercial atrativo para os ladrões. O cabo bimetálico, composto de aço revestido por uma fina camada de cobre para conduzir a corrente, já foi instalado no balneário Costa do Sol, em Cidreira, e em algumas localidades de Tramandaí e Imbé. Outro material, também com baixa atração no mercado paralelo e mais barato que o de cobre convencional, é o multiplexado, composto por um feixe de fios de alumínio isolado com revestimento plástico. Desde 2006, foram colocados cerca de 26,5 mil metros de rede de baixa tensão e mais 90 mil de ramais de serviço na área de concessão da CEEE com esta tecnologia. Está previsto, ainda para este ano, a substituição de outros 59 circuitos nas praias do Litoral Norte, com investimento de R$ 1 milhão.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres