Notícias

Grupo CEEE aplica R$ 800 mil na Rede Parceria Social

As inscrições já estão abertas e seguem até 30 de junho. Os contemplados devem ser conhecidos na primeira semana de agosto.

Por admin / Publicado: 17/05/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

Os interessados em participar com projetos das ações da Rede Parceria Social podem se inscrever até 30 de junho, em formulário existente no site www.redeparceriasocial.rs.gov.br. É o terceiro ano consecutivo que o Grupo CEEE participa da iniciativa, que começou em 2008. Neste período, foram investidos R$ 965.185,17, num total de 40 projetos beneficiados. Em 2010, está programada a aplicação de recursos da ordem de R$ 800 mil, divididos em três carteiras (cada uma representa um grupo de projetos voltados a assuntos específicos).

Nos anos anteriores, o apoio se deu no Projeto Por uma juventude Cidadã. Em 2008, na primeira edição, o trabalho foi feito em cima de iniciativas que enfocassem o atendimento a jovens em situação de vulnerabilidade social. O objetivo geral é promover a inclusão social a pessoas oriundas de famílias de baixa renda, visando à melhoria da qualidade de vida, por meio de ações que contribuíssem para a sua formação cidadã, promovendo a sustentabilidade das instituições e comunidades. Foi contemplado um total de 19 projetos, que contaram com um investimento de R$ 410.798,30.

No ano seguinte, uma resolução de diretoria corroborou a participação do Grupo na Rede Parceria Social, que possibilita benefícios fiscais estabelecidos pela legislação estadual do programa de Apoio à Inclusão e Promoção Social, a chamada Lei da Solidariedade. Mais uma vez, a carteira beneficiada foi Por uma juventude Cidadã, em sua segunda edição, com investimentos de R$ 554.386,87, bem como ocorre em 2010, quando, porém, também estão incluídos nos recursos o Memória Afro-brasileira e o De volta para Casa. Para este ano, a proposta é de empregar R$ 300 mil no projeto Por uma Juventude Cidadã; R$ 300 mil no Volta para Casa; e R$ 200 mil no Incluindo a Memória Afro-brasileira.

Além da CEEE, participam do projeto, incentivadas pela Lei da Solidariedade, as empresas Artecola, Braskem, Banrisul, CEEE, Corsan, Dana, Panvel, Gerdau, Randon, Refap, Renner, Souza Cruz, Sulgás, Vonpar e Zaffari. São âncoras da Rede os Institutos Vonpar, Pobres Servos da Divina Providência, Nestor de Paula, Marista União Sul Brasileira de Educação e Ensino, Randon, da Mama e Elizabetha Randon; as Fundações de Educação e Cultura do Sport Club Internacional, Gazeta e Maurício Sirotsky Sobrinho; além da Associação Médica Vida Solidária, Federação das Apaes, Parceiros Voluntários, Amigos do Meio Ambiente e Centro de Promoção da Criança e Adolescente.

Ao todo, os participantes da Rede Parceria Social, nas três edições, terão fechado um patrocínio direto de R$ 21 milhões, em 460 programas atendidos e 50 carteiras lançadas. Apenas neste ano, serão aplicados recursos da ordem de R$ 6 milhões num total de 250 projetos que deverão ser contemplados. A expectativa é de que as iniciativas atendidas sejam conhecidas no início de agosto.

 

Lei da Solidariedade

A Lei de Solidariedade, de 2002, foi transformada na Lei 12.761, em agosto de 2007, e tem como objetivo desenvolver ações voltadas à inclusão social. As empresas contribuintes do ICMS que financiarem projetos aprovados pelo Conselho Estadual de Assistência Social, nos termos dessa Lei, podem compensar, por meio de crédito fiscal presumido, até 75% do valor aplicado no projeto com ICMS a recolher.

 

As carteiras com patrocínio da CEEE

 

Juventude Cidadã

É um programa que atende jovens em situação de vulnerabilidade social, matriculados e frequentando o ensino fundamental ou médio. O objetivo é promover a inclusão social e a sustentabilidade das famílias através da qualificação para geração de emprego e renda. A parceria é com o Sesi.

 

Memória Afro-brasileira

A principal missão do programa é fomentar a cultura afro-brasileira e o atendimento de populações em vulnerabilidade social, com o objetivo de transformar e valorizar a diversidade étnico-cultural que forma o povo brasileiro. A empresa âncora, que participará do projeto com a CEEE é a Fundação de Educação e Cultura Sport Club Internacional.

 

De Volta Para Casa

Atende pessoas maiores de 18 anos, moradoras ou em situação de rua, dependentes químicas ou não, para promover a efetiva inserção social, tanto pela reconstrução da identidade quanto pela inclusão em alguma atividade produtiva. Os parceiros do Grupo na iniciativa é o Instituto Pobres Servos da Divina Providência.