Notícias

Imperatriz Leopoldense leva energia e os 70 anos da CEEE à avenida

Desfile da escola de São Leopoldo será na segunda-feira (11), na capital

Por admin / Publicado: 09/02/2013 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

No Carnaval deste ano, a CEEE receberá uma homenagem especial da Sociedade Recreativa Cultural Beneficente Imperatriz Leopoldense, pelo aniversário de 70 anos da Companhia. No desfile das escolas do Grupo A, no Complexo Porto Seco em Porto Alegre, os 1200 integrantes da Imperatriz Leopoldense apresentarão o enredo A Energia Iluminando a História...CEEE, 70 anos de glórias.

A escola, fundada em 15 de abril de 1995 no bairro Cohab Feitoria em São Leopoldo, inicia o desfile na avenida a 01h30 da madrugada da próxima segunda-feira, dia 11, e contará, em 14 alas e três carros alegóricos, as questões que envolvem o surgimento da luz e a trajetória da energia elétrica no estado e na capital gaúcha.

No desenvolvimento do enredo pelo carnavalesco Gustavo Barros, serão feitas referências a pessoas e cidades que fazem parte da história, entre eles o governador da época da encampação da CEEE, Leonel de Moura Brizola; Noé de Mello Freitas, engenheiro e fundador da Companhia, e a cidade de São Leopoldo, onde foram feitos os primeiros estudos de aproveitamento energético do Rio Grande do Sul.

O público presente ao desfile da capital gaúcha assistirá, em 60 minutos, uma releitura da trajetória da CEEE no Estado nas últimas sete décadas, desde a sua fundação em 1943 até os dias de hoje, com passagens pelas questões de meio ambiente, cultura, fatos e personagens importantes, muitos que entraram para a história por participarem da criação de produtos que facilitam o dia-a-dia das pessoas. Em São Leopoldo, a apresentação da Imperatriz Leopoldense ocorre na noite do dia 02 de março.

A história da CEEE

No dia 1º de fevereiro de 2013, o Grupo CEEE completou 70 anos. Na fundação, em 1943, o nome era Comissão Estadual de Energia Elétrica, empresa criada pelo Decreto-Lei Estadual número 328. A missão, nessa época, já era bem clara: expandir a infraestrutura energética do Estado, proporcionando crescimento às regiões e melhoria de vida aos gaúchos.

Para atender a esses objetivos, os estudos de um jovem engenheiro, Noé de Mello Freitas, realizados na década de 30 para a Prefeitura Municipal de São Leopoldo, começaram a ser colocados em prática na região da Serra.

A primeira usina hidrelétrica projetada e construída pela CEEE, Passo do Inferno, começou a operar em setembro de 1948, aproveitando as águas do rio Santa Cruz. A casa de força da Usina foi instalada no município de São Francisco de Paula.

Décadas passaram, o nome mudou para Companhia Estadual de Energia Elétrica, mas o objetivo de levar energia a todos os cantos do Rio Grande se manteve. Era necessário atender a população que crescia, exigindo aumento da infraestrutura, como usinas, linhas de transmissão e equipes de atendimento. Nos primeiros anos da empresa, todas as forças e meios de transporte disponíveis na época eram utilizadas para cumprir essa missão.

Em 13 de setembro de 1961, através de Lei Estadual assinada pelo então governador Leonel de Moura Brizola, o Governo do Estado é autorizado a promover a organização de uma sociedade por ações, a ser denominada de Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), destinada a projetar, construir e explorar sistemas de produção, transmissão e distribuição de energia elétrica. A transformação da antiga Comissão Estadual de Energia Elétrica em Sociedade de Economia Mista ocorreu em 1963.

Hoje, passados 70 anos da criação da CEEE, a universalização da energia elétrica no Estado está muito perto de 100%. Atualmente, o Grupo CEEE opera 15 usinas hidrelétricas, possui parcerias em outros empreendimentos de geração, gerencia subestações e linhas transmissão em todo Estado para entregar energia elétrica, diretamente, a 1,5 milhão de clientes, o que corresponde a uma população de mais de quatro milhões de pessoas, na capital gaúcha e em mais 71 cidades do interior Rio Grande do Sul.

A energia na capital

A CEEE surgiu em 1943, mas ela integra uma história que iniciou ainda no Século XIX e que foi fundamental para o crescimento da capital gaúcha, uma cidade que passou de 178.744 habitantes em 1940 para 1,4 milhão em 2010. Porto Alegre foi a terceira cidade no Brasil a implantar um serviço de iluminação pública. Isso ocorreu em 1887.

A energia passou a ser mais presente na vida dos gaúchos, e dos porto-alegrenses em especial, a partir do final dos anos 20. Em 1928, a CEERG (Companhia Energia Elétrica Rio-Grandense), subsidiária da multinacional americana Eletric Bond and Share, se instalou no Rio Grande do Sul, incorporando as três Companhias existentes e suas usinas: a Fiat Lux, a Usina Municipal e a Companhia Força e Luz Porto-Alegrense. No mesmo ano, a CEERG inaugurou a Usina Termelétrica de Porto Alegre, que ficou conhecida como Usina do Gasômetro, cuja chaminé se tornou símbolo turístico de Porto Alegre.

A sede administrativa da empresa CEERG, com prestação de serviços e venda de eletrodomésticos, ocupou o famoso prédio Força e Luz, construído em 1926 na rua dos Andradas, 1223. O local foi, posteriormente, sede administrativa também da CEEE, até que em dezembro de 2002, após uma reforma que preservou o estilo arquitetônico do prédio foi tombado pelo patrimônio histórico, passando a ser sede do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV), e também do Museu da Eletricidade do Rio Grande do Sul (MERGS), primeiro museu ligado a uma concessionária de energia elétrica e que completou, neste mês, 36 anos de existência.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres