Notícias

Lançamento de cabo subaquático na Lagoa dos Patos será em agosto

Obras em São José do Norte foram liberadas em junho. Em Rio Grande, transição da linha aérea para subterrânea está concluída

Por admin / Publicado: 21/07/2010 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

 

Integrantes do corpo técnico do Grupo CEEE estiveram reunidos, ontem, em Rio Grande, com representantes da Superintendência de Portos e Hidrovias. O chefe da Divisão de Planejamento e Engenharia da Distribuição, Roberto Arpini, apresentou o novo cronograma de execução das obras, que foi readequado após a liberação dada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para os trabalhos em São José do Norte, em 25 de junho. Segundo ele, a expectativa é de que a energização da linha ocorra no dia 14 de setembro, a partir de quando o sistema aéreo começa a ser retirado. A área de transição dos cabos aéreos para subterrâneos do lado de Rio Grande está concluída. São 480 metros até a lagoa dos Patos, onde, na segunda quinzena de agosto, iniciará a colocação dos cabos que ficarão dentro da água. Na parte de São José do Norte os trabalhos já começaram a ser feitos.

Além da linha subterrânea na área do Porto, serão mais 1,4 mil metros de subaquática e outro trecho que ficará debaixo da terra em São José do Norte, totalizando 2 mil metros de distância, com quatro cabos para transmissão de energia elétrica e dois de fibra ótica que passarão pelos mesmos dutos. A capacidade  transmitida através dessa linha de transmissão de 69 mil Volts, que vai operar em 23 mil Volts (69kV/23kV), será de 50 MVA de potência, energia suficiente  para atender a população de 26 mil habitantes de São José do Norte e os novos empreendimentos que devem se instalar na área do Porto.

Em agosto, os cabos serão lançados na água, o que deverá ocorrer com o auxílio da Superintendência de Portos e Hidrovias porque o Porto precisará ficar fechado por algumas horas para o lançamento de cada um dos quatro cabos. “Este ponto é fundamental, porque vai definir o local exato em que o equipamento será fixado”, esclareceu Arpini, que é o administrador do contrato. O próprio peso do cabeamento – 16 quilos por metro – o levará para o fundo da lagoa. Após este momento, haverá o enterramento dos cabos por uma equipe de mergulhadores contratada para isso e ao mesmo tempo, os técnicos da CEEE farão a retirada da linha aérea.

Estavam presentes na reunião, além de Roberto Arpini, o chefe do Departamento de Construção, Rodrigo Zanella, a representante da Divisão de Recursos Florestais e Ambientais da CEEE-D, Letícia Sesta, o chefe do serviço de Obras do Centro Regional Litoral Sul, Adilson Cardoso de Souza, e o fiscal de obras da Companhia, Maiquel Luís Tidra da Silva.

 

Assessoria de Comunicação do Grupo CEEE

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres