Notícias

Muros de subestação da CEEE recebem grafitagem

A temática da energia elétrica será retratada em projeto piloto na Capital

Por admin / Publicado: 13/09/2012 Última modificação: 18/10/2019 16h28

Compartilhar

Aproximadamente 50 grafiteiros participam, no próximo final de semana, 15 e 16, da primeira etapa do projeto Colorindo os Muros da CEEE. O muro da subestação Porto Alegre 10, na Av. Ipiranga, 3330,no bairro Santa Cecília, será o primeiro a receber a obra de artistas locais e de outros estados, como Santa Catarina,Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. No sábado, 15, quatro artistas-âncora coordenarão a pintura: Jotapê Pax, Lucas Anão Vernieri, Celo Pax e Luis Flavio Trampo, do estúdio Núcleo Urbanóide, de Porto Alegre.

Enquanto o muro é colorido, os artistas dividem-se para orientar oficinas de grafite para 40 crianças do Centro Cultural James Kulisz (CEJAK), na Vila Pinto, e alunos do 5º ano do Colégio Vicentino Santa Cecília, vizinho à subestação. No domingo, será a vez das crianças aplicarem o resultado das aulas na face do muro da subestação que fica voltada para a Rua Dona Alice. Além das orientações sobre segurança e eficiência energética, eles aprenderão o que é o grafite, os prejuízos e penalidades das pichações e receberão treinamento para realizar o “rascunho” daquilo que será aplicado no muro, com tema relacionado com a energia elétrica.

De acordo com o presidente do Grupo CEEE, Sergio Souza Dias, a proposta é dar uma nova visão para as fachadas dos muros das subestações, promovendo a arte e buscando a integração com a comunidade através de uma ação institucional.

No domingo, a Rua Dona Alice será fechada para trânsito de veículos, das 10h às 18h, para a realização da pintura do muro pelas crianças e para as atividades abertas ao público, como oficinas de capoeira, stencil, percussão, street dance, bambolê e apresentação de B-boys. Para participar é preciso levar um kg de alimento não perecível e os 100 primeiros participantes, ganharão camisetas personalizadas na hora, pelos artistas.

O grafite foi escolhido por ser, culturalmente, respeitado pelos pichadores, que buscam sempre áreas limpas, recém pintadas. “Este muro será o piloto do Projeto. De acordo com os resultados alcançados, o Grupo CEEE pretende ampliar a ação para os demais muros da Empresa em todo o Estado”, explica Sergio Dias.

Em caso de chuva, o evento será transferido para os dias 29 e 30 de setembro.      

            

 

Saiba mais sobre os artistas-âncora

 

Jotapê Pax

 

Gaúcho, 28 anos, fez sua primeira intervenção em 2000. Durante esses 12 anos, já participou de exposições coletivas nacionais em galerias como Mundo Arte Global, na Casa de Cultura Mário Quintana (Bienal B), na Usina do Gasômetro (Projeto Usina Urbana), no Museu de Arte Contemporânea do RS, no Espaço Rabisco (RJ) e Matilha Cultural (SP). Participou de exposições internacionais como a coletiva Moytoy Phobia, na 101 Gallery, em Kaunas (Lithuania), na Fonderie de L’a image, em Paris, e individual na Casa Verdí, em Barcelona. Tem seus trabalhos publicados nas revistas Void, Noize, Cápsula, Graffiti e Vista. No livro Tropical Spray, pela editora francesa Alternatives, e no livro Xirugravuras, editado pela Choque Cultural. Recentemente, teve seu trabalho publicado no calendário Trespass 2012, pela editora Taschen. Suas criações têm referências de arte primitiva e literatura de cordel e segue uma linha com traços que remetem à arte egípcia e pinturas africanas. Seu traço solto traduz um pouco de sua inquietude e as cores sempre variadas trazem um pouco da vibração que existe por traz de suas obras.

 

Lucas Anão Vernieri

 

Tem 28 anos, nasceu e vive em Porto Alegre. Em 1999 começou seu trabalho vivenciando a cultura hip hop de perto, influenciado pelos amigos que já participavam das atividades culturais. Sua inspiração vem da época onde se fazia sem regras, experimentando os primeiros passos dessa cultura.  Seu trabalho é bem diversificado e sensível, desenvolve desde letras agressivas até sua atual criação com uma linha mais orgânica. Árvores e moradias interligadas à terra e à natureza utilizando diversas formas de produção como aquarela, lápis de cor, canetas hidrocolores, tinta látex, canetas foscas e sprays.

 

Celo Pax

 

Marcelo Bardaji, mais conhecido como Celo Pax, nasceu em Porto Alegre, em Janeiro de 1986. O gosto pela arte foi estimulado pela convivência com os pais artesãos que, em virtude da profissão, possibilitaram-lhe acesso a diversos tipos de materiais, incentivando os primeiros rabiscos. A caligrafia urbana começou a chamar sua atenção por volta de 1997, principalmente pela efemeridade dos desenhos. Começou, então, a copiar o que via nas ruas, modificando as formas e marcando, aos poucos, seu próprio estilo nas letras. Atualmente, sua arte é reconhecida pelos traços livres, coloridos e pela expressividade dos desenhos que, segundo o artista, guardam sempre uma ideia subliminar.

 

Luis Flavio Trampo

 

É um dos precursores do grafite no Brasil e até hoje, um dos mais ativos. Influenciado principalmente pela cultura brasileira, das metrópoles as tribos indígenas, demonstra em suas intervenções uma poética visual singular. Por vezes simbólica e experimental, em outros momentos, mais figurativa, mas sempre adequada ao ambiente que está inserida. Conhecido por seu trabalho social, Trampo é a referência de arte urbana em Porto Alegre, participando tanto como voluntário em oficinas para menores em comunidades carentes, como também transmitindo esse mesmo conhecimento em universidades e workshops. Sua circulação em diferentes meios se reflete também na sua produção e na multiplicidade da aplicação de suas obras. Independente da forma como faz, seu objetivo é sempre o mesmo, levar a arte para onde as pessoas estão.

 

Sobre o Núcleo Urbanóide

 

O Núcleo Urbanóide é um coletivo artístico independente formado por diversos artistas colaboradores com técnicas e estilos distintos, que unidos completam um time organizado que tem como objetivo, executar projetos criativos, inovadores e de autoria própria, juntando arte e design em um conceito multidiciplinar. Todos com extenso currículo de intervenções no Brasil e também no exterior. Assumiram esse formato de núcleo para poder difundir ainda mais a arte urbana brasileira, trabalhando na produção e divulgação de eventos, ambientação de interiores, e intervenções urbanas. Pintura de murais externos em grande escala, workshops e qualquer tipo de ideia visual autoral e diferenciada.

 

Confira os artistas confirmados:

 

Porto Alegre: Trampo, Anão, Careca, Grimm, Pedra, Sent, Seilá, Celo, True, Leo, Costanzo, Paçoca, Rikardo, Holie, Lucas, LC, Mari M., Nina, Moraes, Jamaikah, Plim, Pelige, Guto, Bizarro, Bina, Chamb, Jackson, Lidia, Porkão, Sirilo, Tridente, Mars Bernal, Hauli (Caxias do sul), TIiuliu, HP, Nigazz, Veiz (Pelotas), Bero (Pelotas), Ges (Pelotas), Coletivo Sou (Pelotas), Marcolino (Esteio), Da hora (Montenegro), ENE3, ET, Michel Firma (Guaíba), Floko (Viamão), Primo (Viamão), Aipmo (SC), Smoky (SP), Shalak (SP), Reis (RJ).

 

 

Serviço:

 

Colorindo os Muros da CEEE

Quando: 15 de setembro (durante todo o dia) e 16 de setembro, das 10h às 17h (oficinas e atividades abertas ao público). Em caso de chuva, o evento será transferido para os dias 29 e 30 de setembro.

Onde: dia 15 na Av. Ipiranga, 3330, e dia 16 na Rua Dona Alice.

Entrada: 1 kg de alimento não perecível.

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres