Notícias

Polícia Civil prende sócio de academia de ginástica por furto qualificado de energia elétrica

É a segunda detenção pelo mesmo motivo neste segmento em uma semana na Capital Gaúcha.

Por admin / Publicado: 15/09/2016 Última modificação: 18/10/2019 16h29

Compartilhar

A Polícia Civil prendeu em flagrante, nesta quinta-feira, 15, o sócio de uma academia de ginástica localizada na esquina das Avenidas Assis Brasil e Sertório, na zona Norte de Porto Alegre, por furto qualificado de energia elétrica. Esta foi a segunda detenção realizada pela polícia civil no mesmo segmento de prestação de serviço em uma semana na Capital Gaúcha. No último dia 08, outro proprietário de academia, no bairro Cavalhada, já havia sido detido pelo mesmo crime. O trabalho de fiscalização e retirada da fraude pelos técnicos da CEEE Distribuição (CEEE-D) no local foi acompanhado pelo delegado Alexandre Fleck e agentes da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio das Concessionárias e Serviços Delegados (DRCP).

 

A academia de ginástica Fitness Movere tinha registrado em seu nome, na CEEE-D, duas instalações neste endereço. Os lacres da medição eram falsificados e havia alteração de duas fases em cada medição. Essa prática resultava no desvio de aproximadamente 67% da energia consumida pelo estabelecimento, ou seja, mais de dois terços de toda energia utilizada para o funcionamento de uma série de equipamentos, como 15 esteiras, 11 aparelhos de ar condicionado, 65 lâmpadas, oito chuveiros, entre outros, estava sendo furtada e não paga mensalmente. Conforme cálculos dos técnicos da empresa, o valor devido à concessionária que será cobrado pela energia consumida e não faturada é de R$ 59,4 mil. A soma leva em consideração os equipamentos existentes e o tempo pelo qual foi feito o desvio.

 

Conforme o delegado Alexandre Fleck, o responsável pelo estabelecimento prestou depoimento e foi encaminhado ao sistema prisional. Ele destaca que o furto qualificado de energia é crime, previsto no Artigo 155 do Código Penal, com pena que pode variar de dois a oito anos de reclusão.

A CEEE Distribuição vem intensificando o trabalho de combate às fraudes de energia nos municípios da sua área de concessão, em alguns casos, em diligências com o auxílio da Polícia Civil. Conforme a Companhia, essa prática de desvio precisa ser combatida, por trazer prejuízos à empresa, à economia do Estado e aos clientes que pagam regularmente suas contas.

O trabalho das equipes de fiscalização já recuperou aos cofres da CEEE Distribuição R$ 22 milhões em decorrência das ações de cobrança efetuadas nos primeiros oito meses deste ano.

 

 

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres