Notícias

Seminário discute sustentabilidade e desenvolvimento regional

Patrocinado pelo Grupo CEEE, evento promoveu debate sobre energias alternativas e modernização do Estado

Por admin / Publicado: 14/09/2011 Última modificação: 18/10/2019 16h27

Compartilhar

Debater ações públicas voltadas ao desenvolvimento sócio-econômico do Estado, por meio do uso de energias alternativas, e apresentar ações regionais que visem ao progresso sustentável. Com estes objetivos, o Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV) sediou, nos dias 12 e 13, o Seminário Sustentabilidade Energética e o Desenvolvimento Regional, realizado pela NBN Projetos e Consultoria e patrocinado pelo Grupo CEEE. Voltado a gestores públicos e técnicos do meio ambiente, o seminário foi dividido em seis painéis temáticos.

Na cerimônia de abertura do evento, estiveram presentes, além do presidente do Grupo CEEE, Sérgio Souza Dias, o vice-governador Beto Grill, o secretário de Infraestrutura e Logística (Seinfra), Beto Albuquerque, o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, o diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Jorge Chipp e o presidente da Assembleia Legislativa, Adão Villaverde. Sérgio Souza Dias destacou que é uma honra para a CEEE patrocinar um evento que traz a posição de vários convidados sobre o setor elétrico.

“O Grupo CEEE busca mudar seu perfil e atravessar, da melhor forma possível, pelo processo de renovação das concessões. É preciso reverter o atual saldo negativo, resultante de problemas históricos, como o da privatização da Empresa”, salientou, em seu discurso de abertura. Para Beto Albuquerque, o tema da sustentabilidade energética é importante, mas o desenvolvimento regional não pode ser negligenciado. O titular da Seinfra destacou as possibilidades fornecidas por fontes renováveis como a energia eólica e a biomassa, mas lembrou do potencial do carvão no Estado, uma fonte de energia não renovável. “Há padrões exigidos atualmente pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) e é preciso seguir a legislação ambiental, mas a tecnologia de hoje é capaz de reduzir a poluição gerada pela queima do carvão. Afinal, o RS precisa expandir sua capacidade geradora, de transmissão e distribuição de energia”, defendeu Albuquerque.

Em nome do governador Tarso Genro, o vice Beto Grill cumprimentou a CEEE por oportunizar a abordagem da sustentabilidade atrelada ao combate às desigualdades regionais. “É realmente importante que a CEEE estimule o debate sobre tal questão, já que esta empresa é um patrimônio do povo gaúcho e seu potencial precisa ser valorizado”, elogiou Grill. A palestra de abertura foi ministrada por Márcio Zimmermann, que falou sobre as perspectivas energéticas e a sustentabilidade, ressalvando que o país explora somente cerca de 30% de seu potencial hidrelétrico. “É importante que a CEEE patrocine o debate sobre esse tema, já que está localizada em um Estado que apresenta um dos melhores índices de desenvolvimento humano do País. O consumo per capita de energia é baixo no Brasil, que enfrenta o desafio de ampliar os investimentos em energia elétrica. É preciso, por exemplo, viabilizar os empreendimentos hidrelétricos”, declarou Zimmermann.

Desenvolvimento Regional

No dia 13, o presidente do Grupo CEEE foi o debatedor da palestra “O Papel das Energias Renováveis para a Sustentabilidade”, que teve como ministrante Maurício Tolmasquim, presidente da EPE. A palestra teve o objetivo de entender como as pequenas centrais de energia no Brasil e, em específico, no RS, podem contribuir para o desenvolvimento regional. Tolmasquim destacou o potencial da energia eólica no Brasil, da ordem de 143,5 GW (gigawatts) por ano e disse que o País enfrenta o desafio de desenvolver-se mantendo um nível baixo de emissões. “No que se refere à energia hidráulica, o Brasil apresenta o terceiro maior potencial do mundo, estando atrás somente da China e da Rússia, e usamos somente um terço deste potencial”, advertiu, defendendo o maior aproveitamento, de forma sustentável, do bioma amazônico, que participa com somente 7% do investimento em energia hidráulica no País.

Em seguida, a atração foi o painel “A Sustentabilidade Energética como Vetor do Desenvolvimento Regional”, cujo debatedor foi Gilnei Carvalho Ocácia e os palestrantes Lineu Bélico dos Reis, professor da Universidade de São Paulo, e Miguel Aloysio Sattler, da UFRGS. Nesta palestra foi abordado o projeto “A Sustentabilidade Energética e o Desenvolvimento de Municípios: geração de energia elétrica e renda”, firmado entre a CEEE e a NBN Projetos e Consultoria e que prevê, no prazo de 12 meses, o desenvolvimento sustentável de municípios gaúchos e ganhos financeiros à Companhia, através da diversificação de sua matriz energética. Caberá à NBN diagnosticar a potencialidade de cinco cidades do interior do Estado, que sediam agências e seções técnicas da CEEE Distribuição: Santa Vitoria do Palmar, São Jerônimo, Santo Antônio da Patrulha, São José do Norte e Canguçu. O professor Sattler falou sobre a importância de harmonizar o meio urbano e de tornar as cidades mais sustentáveis. “As cidades estão praticamente iguais e pouco eficientes, identificando-se em seus vícios e virtudes”, frisou.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres