Notícias

Uso da rede elétrica facilita o acesso à internet

- O uso das redes elétricas para permitir o acesso à internet, muito mais que uma oportunidade de negócios, é o exercício de cidadania. Precisamos potencializar os milhares de quilômetros de linhas e redes elétricas para a universalização da internet - Es

Por admin / Publicado: 04/07/2007 Última modificação: 18/10/2019 16h25

Compartilhar

"O uso das redes elétricas para permitir o acesso à internet, muito mais que uma oportunidade de negócios, é o exercício de cidadania. Precisamos potencializar os milhares de quilômetros de linhas e redes elétricas para a universalização da internet". Esta declaração foi feita pelo presidente do Grupo CEEE, Delson Martini, nesta quinta-feira, durante a abertura do VIII Seminário de Tecnologia Power Line Communications (PLC), no Hotel Sheraton (rua Olavo Barreto Viana, 18), em Porto Alegre. O evento, que acontece até amanhã (06), é promovido pelo Grupo CEEE, Procempa e Forum Aptel Brasil PLC, e organizado pela Associação de Empresas Proprietárias de Infra-estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações (APTEL).

Delson Martini salientou que, nos 72 municípios pertencentes à área de abrangência da CEEE, ainda existem 50 mil pessoas sem energia e que os investimentos em infra-estrutura já realizados permitem que a inclusão também se faça presente através do acesso à informação pela rede elétrica. "Um novo ciclo de investimentos se dará quando iniciar a discussão sobre a universalização do uso da internet pela rede elétrica", disse. Ele alertou para a necessidade de um marco regulatório, a fim de que as empresas de energia possam utilizar os milhares de quilômetros de redes elétricas, já instaladas, a serviço da internet.

Para o secretário de Logística e Tecnologia de Informação, do Ministério do Planejamento Rogério Santanna, o grande desafio futuro será "tornar a capital gaúcha num centro de excelência sobre a tecnologia PLC, exportando conhecimentos e informações sobre o assunto a todo o País". Segundo ele, a consolidação dessa tecnologia necessita de soluções eficazes, caseiras e economicamente viáveis, adaptadas à realidade brasileira. "O PLC da Restinga está contribuindo significativamente para essa avaliação, aponta para uma solução", diz ele.

O exemplo citado pelo secretário é o projeto piloto implantado, no final de 2006, em conjunto pela CEEE, Procempa, UFRGS e Senai no bairro Restinga, em Porto Alegre. Com mais de 3,5 quilômetros, a rede é a maior em extensão do País, em média e baixa tensões, para fins de inclusão social. São transmitidos dados, voz e imagem, com conexão em banda larga. Desde sua implementação, a iniciativa vem recebendo instituições do Brasil e da América Latina, interessadas na aplicação da tecnologia em suas localidades

Com o objetivo de abordar importantes cases de PLC, através de redes de energia elétrica, o encontro que contou com a presença do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, reúne diversas empresas e profissionais que desenvolvem direta ou indiretamente projetos com essa tecnologia. A idéia do seminário é propiciar um aprofundamento na discussão, do ponto de vista tecnológico e científico, uma vez que a utilização do PLC é muito incipiente no País. O seminário encerra amanhã, às 13h30, no salão Mercosul do Hotel Sheraton, na capital.

Últimas Notícias

Categoria
A CEEE
Data
04/07/2020

CEEE recompõe energia para 99% dos clientes

Categoria
A CEEE
Data
24/06/2020

CEEE-GT vai ampliar capacidade da Usina de Bugres